Funchal leva a consulta pública regulamento de estacionamento à superfície

O regulamento passa a prever por exemplo pagamento para meios eletrónicos, e fazer campanhas de apoio ao comércio tradicional e urbano com descontos no estacionamento, explicou o presidente da autarquia do Funchal.

O Funchal vai levar a consulta pública o regulamento de estacionamento à superfície do Funchal.

“O regulamento estava em vigor desde 1999. O regulamento carecia adequação à nova realidade da mobilidade na cidade com o Funchal”, explicou Miguel Gouveia, presidente da Câmara Municipal do Funchal.

Com esta alteração o regulamento passa a “prever pagamento para meios electrónicos, e fazer campanhas de apoio ao comércio tradicional e urbano com descontos no estacionamento”.

Este regulamento vem ainda “clarificar ainda as competências da Câmara do Funchal nesta área do estacionamento”,  acrescentou o autarquia.

A reunião da Câmara do Funchal decidiu ainda revogar um contrato com empreendedor imobiliário para instrumento de gestão territorial do Amparo. “A Câmara do Funchal vai assumir a gestão desse instrumento de gestão territorial. A autarquia assume o desenho desse território que permitirá oferecer a cidade cerca de 11 mil metro quadrados de domínio público, com zonas ajardinadas e uma nova alamada”, explicou Miguel Gouveia.

Foi ainda decidido aprovar apoios no valor de 45 mil euros para entidades culturais e desportivas.

Recomendadas

Madeira: PS critica falta de apoio do Governo Regional ao investimento privado

Sérgio Gonçalves falava durante uma visita do Grupo Parlamentar socialista à empresa Autocrescente.

Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira defende papel mediador dos parlamentos regionais

Em Espanha, os 72 presidentes das Assembleias Legislativas Regionais debateram as relações com o Comité das Regiões Europeu. Os parlamentos regionais querem dialogar diretamente com as instituições europeias.

Câmara do Funchal retirou das ruas 17 pessoas sem-abrigo

O presidente da autarquia anunciou também estar em preparação um ‘Plano Municipal para Pessoas em Situação de Sem-abrigo’, um plano que “não existia quando chegamos à Câmara”.
Comentários