Funchal: PSD chumba propostas da Coligação Confiança para bolsas de estudo por mérito e devolução de dinheiro em multas ilegais

As dez bolsas de estudo propostas pela Confiança teriam um valor individual de mil euros anuais (500 euros em cada semestre) e poderia ser candidatada por qualquer estudante residente no concelho do Funchal, sem disciplinas em atraso e com média superior a 16 valores no ano anterior.

As duas propostas apresentadas pela Confiança, uma que criava “Bolsas de Estudo por Mérito a Estudantes do Ensino Superior” e outra que previa a “Devolução de Dinheiro Cobrado em Multas Ilegais”, foram chumbadas na reunião de câmara da passada quinta-feira pela maioria PSD.

A vereadora Sancha de Campanella destacou que no que diz respeito às bolsas, os estudantes funchalenses não terão a sua excelência reconhecida pela autarquia no ano letivo que agora se inicia, num investimento que representaria apenas dez mil euros aos cofres do município.

As dez bolsas de estudo propostas pela Confiança teriam um valor individual de mil euros anuais (500 euros em cada semestre) e poderia ser candidatada por qualquer estudante residente no concelho do Funchal, sem disciplinas em atraso e com média superior a 16 valores no ano anterior.

A proposta procurava promover uma cultura de mérito e de reciprocidade em que os beneficiários disponibilizariam vinte horas para o desenvolvimento de atividades de interesse municipal.

“A maioria PSD mostrou ter uma fraca convivência com o mérito, bloqueando uma proposta com inegável valor intrínseco e que premeia o esforço daqueles estudantes que dão o seu melhor e obtém resultados”, defendeu a vereadora, lamentando que “chumbar uma proposta de dez mil euros aos estudantes funchalenses, no mesmo dia em que se oferece, a custo zero, espaços municipais no Matadouro a empresas com lucros superiores a 850 milhões de euros, mostra uma extrema falta de sensibilidade”.

No que concerne à proposta relativa às multas de estacionamento cobradas ilegalmente, Sancha de Campanella realça que a maioria recusou suspender o processo e devolver os valores aos seus pagadores.

“Para fundamentar esta surpreendente decisão de insistência na ilegalidade, a maioria PSD alterou o discurso e, justificou-se de que a Frente Mar Funchal iria entregar todo o dinheiro recebido ao Governo Regional”, apontou.

Recomendadas

Bloco de Esquerda questiona Governo Regional sobre aplicação da creche gratuita na Madeira

O Bloco de Esquerda destacou que esta lei já está a ser aplicada no continente português e que, dado que a educação está regionalizada na Região Autónoma, é necessária a “iniciativa legislativa” do Governo da Madeira.

Madeira: PS defende novo modelo de apoio a pessoas com deficiência ou incapacidade

Elisa Seixas lamentou que os projetos previamente apresentados pelo PS tenham sido rejeitados pela maioria, pelo que será entregue uma proposta de Decreto Legislativo sobre esta matéria.

Madeira: Dívida da Administração Pública Regional cresce 2,6 milhões de euros no segundo trimestre

Os dados são da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), que indicam também que face ao trimestre anterior houve uma redução de 300,7 milhões de euros, ou seja um diminuição de 5,7%.
Comentários