Fundação Vasco Vieira de Almeida comemora dois anos e lança prémio de 20.000 euros

O prémio Professor Francisco Vieira de Almeida, criado em parceria com a Faculdade de Letras da Universidade, que visa distinguir trabalhos científicos em diversas áreas de investigação das Humanidades.

A Fundação Vasco Vieira de Almeida, que comemora o seu segundo aniversário, lançou esta quinta-feira o prémio Professor Francisco Vieira de Almeida, em parceria com a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Primeiramente, esta distinção pretende honrar a memória e homenagear a vida e obra do de Francisco Vieira de Almeida, professor catedrático daquela instituição de ensino, filósofo e escritor. Além disso, o prémio quer reconhecer trabalhos científicos em diversas áreas de investigação das Humanidades (a definir em cada edição, de caráter bianual).

“Podem candidatar-se licenciados, mestres ou doutores ou investigadores de pós-doutoramento da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. O melhor trabalho submetido em cada edição receberá um prémio no valor de 20.000 euros (ao qual se adicionará a verba máxima de 5.000 euros para publicação)”, refere a sociedade de advogados Vieira de Almeida, em comunicado.

O júri é composto por um membro nomeado pela Fundação Vasco Vieira de Almeida e integrado de forma permanente por Miguel Tamen (diretor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), José Pedro Serra (diretor da Biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa) e António Feijó (diretor da Imprensa da Universidade de Lisboa).

Recomendadas

PremiumPorto Law Summit debate sociedades multidisciplinares

As sociedades multidisciplinares – formadas por advogados e outros profissionais – estão a chegar. O bastonário Luís Menezes Leitão, que se recandidata ao cargo, não está disponível para as aceitar.

Diferendo entre Ordem dos Advogados e Conselho de Deontologia de Lisboa volta “à estaca zero”

O despacho deixa o recurso apresentado em janeiro desse ano pelo bastonário, Luís Menezes Leitão, novamente por decidir, contrariando o próprio entendimento que esta 3.ª Secção do CS havia tido anteriormente.

Advogados do caso BES querem Supremo a decidir pela manutenção de Ivo Rosa no processo

Na terça-feira a providência 24/22, deu entrada no Supremo e ficou decidido como relator o juiz conselheiro Manuel Capelo, segundo a “TSF”.
Comentários