Fundação Vodafone lança programa móvel para ajudar mães e crianças seropositivas

As tecnologias móveis inovadoras permitem fornecer um programa de cuidados de saúde à comunidade no Lesoto, onde uma em cada quatro pessoas são VIH positivas.

A Fundação Vodafone anunciou um programa móvel pioneiro direcionado para o VIH (vírus da imunodeficiência humana) no Lesoto, onde se calcula que 23% da população seja seropositivo.

Grande parte destas pessoas vivem em condições de pobreza extrema em comunidades rurais remotas, separadas por terreno montanhoso e com infraestruturas mínimas. Calcula-se que cerca de cinco mil crianças com menos de 14 anos vivam com VIH não diagnosticado e, como tal, as suas vidas se encontrem em risco, caso não sejam identificadas, nem iniciem tratamento imediatamente.  Outras sete mil crianças já foram diagnosticadas e requerem tratamento especializado e continuado para o VIH.

O programa da Fundação Vodafone combina o serviço móvel de dinheiro M-Pesa da Vodafone – amplamente usado em toda a África Subsariana – com clínicas ambulantes e com uma aplicação para smartphone, concebida pela Fundação Vodafone e a Vodacom Lesoto, para profissionais de saúde, permitindo o rastreio de doentes em zonas remotas.

As clínicas ambulantes utilizam uma frota de veículos 4×4 e fornecem testes de VIH no local, como parte de um esforço mais alargado para fornecer cuidados de saúde primários em zonas remotas. Quando as pessoas são identificadas como sendo VIH positivas, são imediatamente registadas no serviço móvel de dinheiro M-Pesa e recebem os fundos necessários para pagar o transporte até um centro de tratamento.

Em simultâneo, os detalhes são registados, via móvel, numa base de dados central para que o tratamento e cuidados futuros possam ser planeados e registados. Estes detalhes podem ser recolhidos em tempo real pelos profissionais de saúde no terreno, utilizando a aplicação.

O programa está orientado especificamente para mulheres grávidas, mães e crianças, que estão entre os grupos mais vulneráveis da população do Lesoto, uma vez que têm uma capacidade inferior para caminhar várias horas até à clínica mais próxima.

A fundação criou o programa em parceria com o Ministério da Saúde do Lesoto. O governo do Lesoto acolheu os resultados da implementação nas zonas de Maseru e Leribe e está empenhado em integrar o programa na estratégia de cuidados de saúde primários do país. O custo do programa será totalmente financiado pelo governo do Lesoto, a partir de meados de 2017.

De seguida, está planeado um alargamento às restantes zonas do Lesoto, transformando as perspetivas de vida de pessoas vulneráveis, em centenas de aldeias remotas em todo o país.

As clínicas ambulantes são geridas em parceria com a Baylor International Pediatrics AIDS Initiave (BIPAI) e a Riders for Health. No programa, que abrange todo o Lesoto, estão incluídos alguns dos líderes globais na prevenção, teste e tratamento do VIH, como é o caso dos parceiros de financiamento USAID, ViiV Healthcare, a Elton John AIDS Foundation e a Elma Philantropies.

Além da BIPAI e da Riders for Health, a Fundação Vodafone também está a trabalhar com as ONG Kick 4 Life e PSI, para fornecer o programa.

Andrew Dunnett, diretor da Fundação Vodafone, afirmou que “o VIH é muito crítico nos cuidados de saúde para as pessoas do Lesoto. Este programa pioneiro da Fundação Vodafone assegura que milhares de mães e crianças, em algumas das comunidades mais pobres do mundo, recebem os cuidados e apoio de que precisam.”

Recomendadas

Celsius. Depois da insolvência, CEO e co-fundador de saída

O co-fundador e Chief Strategy Officer da Celsius, uma plataforma de criptomoedas, S. Daniel Leon, está de saída. A decisão foi conhecida uma semana depois da demissão do CEO, Alex Mashinky, e poucos meses depois do aberto o processo de insolvência.

Três startups vencem programa de inovação da Prio

As empresas AirCO2 Fintech (Espanha), BeFC (França) e Evyon (Noruega) ganharam a sexta edição do “Jump Start”. “Perante desafios tão importantes como a transformação digital, sustentabilidade e a transição energética, acreditamos que é fundamental dar voz e colaborar com startups”, garante a diretora de I&D da petrolífera.

PremiumPortugal Ventures passa de prejuízo a lucro de 12 milhões

A sociedade do grupo Banco Português de Fomento registou um aumento de 45% na valorização da carteira de capital de risco, em relação a 2020, o que explicou os resultados líquidos positivos.
Comentários