Fundo Alpac Capital conclui compra da maioria do capital da Euronews

A gestora de fundos de investimento sediada em Portugal ALPAC Capital concluiu a compra da maioria do capital da estação de televisão Euronews, após a aprovação do investimento pelo Governo francês, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a gestora de fundos, detida por Pedro Vargas David e Luís Santos, dá conta da conclusão do negócio que tinha sido anunciado em dezembro de 2021, sem revelar o valor do investimento.

“A ALPAC pretende reforçar a identidade europeia do projeto, nomeadamente através do aprofundamento do diálogo com os deputados do Parlamento Europeu e da Comissão Europeia em Bruxelas, e dar continuidade ao processo de digitalização dos media, assim como aos seus esforços de diversificação”, lê-se no comunicado enviado à Lusa.

Na mesma nota, o presidente executivo da ALPAC Capital, Pedro Vargas David, destaca “a necessidade de amplificar a voz da Euronews no panorama mediático europeu e até mesmo além das fronteiras do continente”.

“A Europa viveu momentos de instabilidade na última década: crises financeira, sanitária e agora militares, que não há muito tempo, seriam praticamente impensáveis. A União Europeia tem, por isso, desempenhado um papel cada vez mais central nas nossas vidas. Para a UE se tornar, tal como é nosso desejo, mais forte e eficiente tem de ser cada vez mais democrática e responsável: nada disto é possível sem uma imprensa livre e forte”, acrescentou.

Recomendadas

Poupanças no gás com mecanismo ibérico entre 2,3% e 34,8%

O mecanismo ibérico que colocou um travão aos preços no mercado do gás usado para produzir eletricidade gerou poupanças entre os 2,3% e os 34,8%, nos dias 17 de julho e 07 de julho, respetivamente, segundo dados divulgados esta quarta-feira.

Após multa de 48 milhões, EDP Produção pondera acionar meios legais

O Tribunal da Concorrência confirmou hoje a decisão da Autoridade da Concorrência (AdC), que atribuiu uma coima de 48 milhões de euros à EDP Produção por abuso de posição dominante, com a elétrica a avaliar recurso aos meios legais.

Prevista para este verão, burocracia atrasa decisão sobre saída do Facebook e Instagram da UE

Um regulador de privacidade irlandês agiu contra a Meta (empresa-mãe) devido a um mecanismo de transferência dos utilizadores europeus para os EUA.
Comentários