Fundo Ambiental vai financiar utilizadores de carros elétricos em 2022

O objetivo é compensar o aumento das tarifas determinado pela ERSE, fazendo com que os utilizadores paguem o mesmo que em 2021.

Os utilizadores de carros elétricos vão receber um apoio do Estado, anunciou esta quinta-feira o Ministério do Ambiente e da Ação Climática. A medida entrará em vigor a partir de janeiro de 2022 e será ao abrigo do Fundo Ambiental.

De acordo com o comunicado divulgado, o objetivo é compensar o aumento das tarifas determinado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), fazendo com que os utilizadores paguem o mesmo que em 2021.

A entidade tinha decidido que no próximo ano as tarifas (pagas por cada carregamento) aplicadas aos comercializadores de eletricidade para a mobilidade elétrica (CEME) e também aos operadores de pontos de carregamento (OPC) passariam de 0,1657 para 0,2964 euros. Mas agora a tutela vem contrariar essa decisão ao disponibilizar um apoio aos utilizadores deste tipo de transporte.

“Este é um apoio para um sector emergente, de reduzida dimensão, mas determinante para Portugal atingir os objetivos a que se vinculou”, defende o gabinete de João Matos Fernandes, explicando que face “à atual conjuntura de incerteza na evolução da tarifa de energia no sector elétrico, importa manter alguma estabilidade nos preços de carregamento na rede de mobilidade elétrica nacional, através de um apoio aos utilizadores de veículos elétricos que ajude a promover a adoção deste tipo de veículos”.

A partir de dia 1 de janeiro, as tarifas aplicadas aos comercializadores de eletricidade para a mobilidade elétrica (CEME) e aos operadores de pontos de carregamento (OPC) passam para 0,2964 euros (este ano, o valor era de 0,1657). Estas são tarifas pagas por cada carregamento.

Com o financiamento do Fundo Ambiental, 0 aumento será compensado através da aplicação de um desconto, a figurar nas faturas dos utilizadores de veículos elétricos. No valor de 0,2614 euros por carregamento, o apoio neutraliza o acréscimo de tarifas, mantendo o encargo no patamar aplicado em 2021.

Relacionadas

Empresas portuguesas admitem utilizar mais carros elétricos nas suas frotas, revela estudo

Entre as principais vantagens para a aquisição deste tipo de veiculos, destacam-se os baixos consumos (52%) e a redução de emissões de carbono (41%), seguido dos benefícios fiscais (32%), a diminuição de custos de combustível (20%) e os reduzidos custos de manutenção (14%).
Recomendadas

PremiumCOP27: economia fica sempre à frente dos interesses do planeta

A guerra, a inflação, os preços das energias tornaram a opção pela produção sustentável um luxo a que as economias não se podem dar. A guerra das Nações Unidas terá de ficar para mais tarde.

Pelo menos 238 mil pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020, revela relatório

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 mil pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA, na sigla em inglês), hoje divulgado.

Negociadores chegam a acordo sobre fundo climático na COP27

A revelação foi feita pelo ministro do Ambiente das Maldivas, este sábado, 19 de novembro Sharm El-Sheikh, Egito, no Egito. “Há um acordo sobre perdas e danos”, afirmou Aminath Shauna à Associated Press.
Comentários