Fundo de Abu Dhabi reforça participação na Nos

O fundo árabe passa agora a controlar 5% da operadora assegurando a sua posição como segundo acionista maioritário.

Presidente executivo da NOS, Miguel Almeida

O fundo soberano de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos (EAU), Mubadala Investment Company reforçou a sua participação no capital da Nos.

De acordo com o comunicado divulgado esta quinta-feira pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o fundo passa agora a controlar 5% da operadora assegurando a sua posição como segundo acionista maioritário.

Recorde-se que em setembro o fundo de Mubadala tinha passado a deter uma participação qualificada na Nos, altura em que atingiu 2% do capital da empresa e tornou-se no segundo maior acionista da empresa de telecomunicações. Na altura, o fundo dos Emirados Árabes Unidos investiu 35 milhões de euros na compra de mais de dez milhões de ações da empresa.

Esta não é a primeira vez que a Mubadala investe em empresas portuguesas. Em fevereiro de 2021, o fundo vendeu parte de uma participação de 4,06% do capital da EDP.

Relacionadas

Fundo de Abu Dhabi torna-se segundo maior acionista da Nos

O fundo dos Emirados Árabes Unidos investiu 35 milhões de euros na compra de mais de dez milhões de ações da empresa.
Recomendadas

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.
Comentários