Fundo imobiliário francês atento a oportunidades em Portugal (com áudio)

Fundo tem 14 imóveis sob sua gestão no país e já investiu 100 milhões em Portugal.

O fundo imobiliário francês Corum já investiu mais de 100 milhões de euros em Portugal desde 2014 e continua atento a oportunidades no país.

“Acho que vai continuar [o investimento], com a dimensão própria do país. Encontraremos oportunidades em Portugal. Acredito que haja oportunidades”, disse o responsável do fundo para Portugal José Gavino num encontro com jornalistas na segunda-feira.

Sobre o tipo de imóveis a que estão atentos e as localizações preferidas, o gestor disse que “ainda está tudo em aberto”.

O fundo tem 14 imóveis sob sua gestão em Portugal e mais de 200 imóveis nos 18 países onde está presente, incluindo escritórios, hotéis, supermercados e armazéns.

“Não há propriamente uma tendência marcada de sectores. Vai depender essencialmente dos vendedores”, acrescentou.

Questionado se os preços dos imóveis em Portugal estão a arrefecer, o gestor rejeita esta possibilidade, apontando que continuam em alta à semelhança do que se passa no resto do sul da Europa.

“Não sentimos ainda a descida dos preços no sul da Europa”, disse José Gavino.

Depois de ter captado 1,2 mil milhões de euros em 2022 junto do seus clientes, a empresa espera captar 1,5 mil milhões este ano.

Entre os imóveis em Portugal, a Corum conta com os supermercados Pingo Doce em Tondela, Vizela, Vila Nova de Cerveira ou Grijó.

O imóvel mais recente é uma unidade industrial em Benavente à Fusion Fuel, negócios fechado por 10 milhões de euros numa operação de sale and leaseback (compra de um imóvel para arrendá-lo depois ao antigo proprietário).

Em 2022, os dois maiores negócios do ano para a empresa foram a compra de um imóvel de 173 milhões de euros em Bruxelas e arrendado ao governo regional da Flandres, enquanto que na Alemanha vendeu um imóvel por 95 milhões em Frankfurt ao Deutsche Bank.

Os fundos imobiliários da Corum atingiram os cinco mil milhões de euros sob gestão no final de 2022.

 

Relacionadas

Fundo Corum Eurion compra edifício industrial de hidrogénio verde em Benavente por 10 milhões

O edifício era ocupado pela Fusion Fuel, filial da Fuel Green PLC, empresa cotada na NASDAQ. Encontra-se integrado no Parque Industrial de Vale Tripeiro, tendo sido construído em 2004 e alvo de remodelações entre 2021 e 2022.

“Intenção é captar mil milhões nos clientes de toda a Europa”

Em entrevista ao JE, José Gavino traça como objetivo para o mercado português em 2022 a captação de 25 milhões de euros ao nível de clientes e deseja ter uma carteira de ativos mais diversificada, mas sem “seguir nenhuma moda”.

Grupo Corum fechou 2021 com cinco mil milhões de euros de ativos sob gestão

O fundo Corum Origin tinha o objetivo anual de 6%, mas fechou o ano com um rendimento de 7,03%, o fundo Corum XL conseguiu um rendimento de 5,84% face ao objetivo de 5% e o fundo Corum Eurion um rendimento de 6,12% face ao objetivo de 4,5%.
Recomendadas

Lisboa: esta cidade não é para pobres

Estudo da Century 21 Portugal sobre a acessibilidade de habitação em Portugal revela que, na capital portuguesa, 155 mil famílias com rendimentos líquidos anuais que variam entre os 5 mil e os 19 mil euros só têm 5% de oferta de habitação adequada à sua classe no mercado.

Volume de investimento imobiliário deverá continuar nos três mil milhões em 2023

Consultora CBRE aponta Lisboa como a sexta cidade europeia mais atrativa para investir e destaca como principais riscos para este ano a obtenção e o custo do crédito, bem como o desfasamento de expetativas de preços entre o vendedor e comprador.

Comprar um apartamento de 90m2 em Lisboa custava mais do dobro da média nacional em 2022

Na capital portuguesa o preço era de 375.480 euros, enquanto na média nacional o valor é de e 152.159 euros. Em Lisboa, a taxa de esforço aumentou dos 48% em 2019, para o 67% no último ano.
Comentários