Fundos de Investimento com 19,5 mil milhões de ativos sob gestão em dezembro

A Jerónimo Martins foi o título com maior peso nas carteiras dos fundos, representando 11,7% do total investido, com um crescimento mensal de 32,3%. Seguiram-se a Sonae, cujo valor nas carteiras dos fundos subiu 38,8%, e a Navigator cujo valor cresceu 48,6% face a novembro.

Em dezembro de 2021, o valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) totalizou 19.528,2 milhões de euros, mais 740,3 milhões (3,9%) do que em novembro, avança a CMVM.

Sendo que, nos fundos de investimento alternativo (FIA), o valor mensal sob gestão decresceu 0,2% para 331,1 milhões de euros.

A CMVM destaca que o valor das aplicações em ações subiu 31,3% nas de emitentes nacionais e 9,1% nas de emitentes estrangeiros, em comparação com o mês anterior.

Já no que respeita à dívida pública, o valor das aplicações recuou 1,8% na nacional e aumentou 2,4% na estrangeira. O valor aplicado em obrigações decresceu 2,7% nas de emitentes nacionais e 0,8% nas de emitentes estrangeiros.

A Jerónimo Martins foi o título com maior peso nas carteiras dos fundos, representando 11,7% do total investido, com um crescimento mensal de 32,3%. Seguiram-se a Sonae, cujo valor nas carteiras dos fundos subiu 38,8%, e a Navigator Company, cujo valor cresceu 48,6% face a novembro.

No que respeita ao investimento em títulos da União Europeia, os mais representativos nas carteiras dos fundos de investimento foram a LVMH, a Siemens e a L’Oreal. Fora da União Europeia destacaram-se a Pfizer, a Microsoft e a Apple.

A CMVM avança ainda que os Estados Unidos foram o principal destino de investimento dos OICVM em dezembro, ao absorverem 17,7% do total das aplicações dos fundos, seguidos de Alemanha (16,2%) e de Luxemburgo (12,0%). Portugal absorveu 4,0% do investimento.

As sociedades gestoras com as maiores quotas de mercado foram a Caixa Gestão de Ativos (35,0%), a IM Gestão de Ativos (21,7%) e a BPI Gestão de Ativos (17,1%).

A CMVM destaca que em dezembro foi constituído o fundo de investimento mobiliário “Optimize Portugal Golden Opportunities Fund – Fundo de investimento mobiliário aberto”, gerido pela Optimize Investment Partners – Sociedade Gestora de Organismos de Investimento Coletivo.

No mesmo mês houve também a fusão por incorporação de dois fundos de investimento mobiliário geridos pela Santander Asset Management, concretamente, do “Popular Global 25 – Fundo de investimento mobiliário aberto” no “Santander Select Moderado – Fundo de investimento mobiliário aberto”, e do “Popular Global 5 – Fundo de investimento mobiliário aberto” no “Santander Select Defensivo – Fundo de investimento mobiliário aberto”.

Recomendadas

Wall Street fecha em alta após Fed sinalizar continuidade da subida dos juros

As ações da Nvidia, fabricante de peças para computador, dispararam mais de 5%, a poucos minutos de publicar as contas trimestrais. Os analistas antecipam um lucro por ação de 1,3o dólares nos primeiros três meses do ano fiscal de 2023.

BdP comprou 20,3 mil milhões de euros de dívida portuguesa e financiou bancos em 41,8 mil milhões

O Relatório de Implementação da Política Monetária do banco central mostra que o seu balanço cresceu 14% no último ano, atingindo assim novos máximos históricos. Mesmo com o fim do programa de emergência pandémica, Portugal tem margem para aumentar o nível de compras líquidas, visto estar abaixo da sua chave de capital.

AllianzGI: Abrandamento mais significativo da economia pode travar ritmo de subida de juros

A Diretora Global de Investimento em ações da AllianzGI, Virginie Maisonneuve, alerta que o abrandamento da economia deverá ser mais significativo do que se espera. E isto poderá levar os bancos centrais a subirem menos as taxas de juro do que aquilo que os mercados antecipam.
Comentários