Fundos imobiliários chegam a agosto com 11 mil milhões de euros sob gestão

A Square AM (12,2%), a Interfundos (10,5%), e a Caixa Gestão de Ativos (8,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas, revela a CMVM.

Os dados são da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e dizem que em agosto de 2022, o valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário (FII), dos fundos especiais de investimento imobiliário (FEII) e dos fundos de gestão de património imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.968,7 milhões de euros, mais 106,2 milhões (1,0%) do que em julho.

O montante investido nos fundos de investimento imobiliário aumentou 0,4% para 8.191,1 milhões de euros. Nos FEII, o valor cresceu 2,9% para 2.459,8 milhões de euros e nos FUNGEPI subiu 0,7% para 317,9 milhões de euros.

“No período em análise, os países da União Europeia foram o destino da totalidade do investimento feito em ativos imobiliários, tendo 48,9% da carteira dos FII e FEII abertos sido aplicados em imóveis do setor dos serviços. Também os investimentos realizados pelos FUNGEPI se destinaram, sobretudo, ao setor dos serviços (47,7%)”, revela a CMVM.

A Square AM (12,2%), a Interfundos (10,5%), e a Caixa Gestão de Ativos (8,3%) detinham as quotas de mercado mais elevadas.

A CMVM lembra que em agosto foi constituída a sociedade de investimento imobiliário especializado “Companhia das Nações Aliadas” gerida pela Atlantic SGOIC e a sociedade de investimento imobiliário “Top Notch” gerida pela Lynx AM.

Recomendadas

Luta da Fed contra a inflação atinge Wall Street no fecho da sessão

De resto, o organismo liderado por Jerome Powell deu conta na semana passada da possibilidade de as taxas de juro continuarem em alta até 2023 fez com que os três principais índices tivessem caído na última semana entre 4% e 5%.

Banco de Inglaterra anuncia cenário para “testes de stress” com libra em queda

O Banco de Inglaterra divulgou hoje o cenário para testar a resistência dos grandes bancos do Reino Unido, quando o mercado obrigacionista britânico e a libra estão abalados pelas medidas orçamentais anunciadas pelo novo Governo.

Bolsa de Lisboa entre as que mais caíram. EDP Renováveis lidera perdas

O BCE e a OCDE penalizaram os mercados. “O italiano Footsie MIB foi a exceção após a vitória maioritária de Giorgia Meloni do partido de extrema-direita para o cargo de primeira-ministra, nas eleições realizadas ontem”, realçou o analista do BCP.
Comentários