Funeral de Gorbachev realiza-se hoje sem honras de Estado

A cerimónia de despedida será no Salão dos Pilares da Casa dos Sindicatos, uma mansão icónica perto do Kremlin que tem servido de local para funerais de estado desde os tempos soviéticos. Apesar da escolha do local, o Kremlin deixou de lhe chamar funeral de Estado, porque tal obrigaria à presença de Putin assim como teria exigido a Moscovo convidar líderes estrangeiros.

O antigo líder soviético Mikhail Gorbachev vai ser enterrado este sábado numa cerimónia relativamente discreta, depois de o Kremlin ter recusado um funeral de Estado ao homem que ajudou a acabar com a Guerra Fria.

Gorbachev morreu na terça-feira aos 91 anos de idade e será enterrado hoje no cemitério Novodevichy de Moscovo ao lado da sua mulher, Raísa.

A cerimónia de despedida será no Salão dos Pilares da Casa dos Sindicatos, uma mansão icónica perto do Kremlin que tem servido de local para funerais de estado desde os tempos soviéticos, avança a agência de notícias Associated Press (AP).

Apesar da escolha do local, o Kremlin deixou de lhe chamar funeral de Estado, porque tal obrigaria à presença de Putin assim como teria exigido a Moscovo convidar líderes estrangeiros.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, explicou que Putin estará ausente devido à sua agenda, mas a cerimónia terá “elementos de um funeral de Estado”, tais como uma “guarda de honra”.

Na quinta-feira, Putin colocou flores no caixão do último líder da URSS, no hospital de Moscovo onde faleceu.

Venerado a nível mundial por ter derrubado a Cortina de Ferro, Gorbachev é também mal visto por muitos no seu país que o apontam como responsável pelo colapso económico soviético, após as suas reformas que ajudaram a pôr fim à Guerra Fria e precipitaram o desmembramento da União Soviética.

Putin que chegou a lamentar o colapso da União Soviética como “a maior catástrofe geopolítica do século”, evitou críticas pessoais explícitas a Gorbachev, mas culpou-o repetidamente por não conseguir obter compromissos escritos do Ocidente que excluíssem a expansão da NATO para leste.

A questão tem prejudicado as relações Rússia-Oeste durante décadas e fomentado tensões que explodiram este ano, quando o líder russo enviou tropas para a Ucrânia em 24 de Fevereiro.

Numa carta de condolências, Putin descreveu Gorbachev como um homem que deixou “um enorme impacto no curso da história mundial”: “Ele percebeu profundamente que eram necessárias reformas e tentou oferecer as suas soluções para os problemas agudos”, disse Putin citado pela AP.

A cerimónia fúnebre prevista para Gorbachev contrasta com um pródigo funeral de Estado de 2007 dado a Boris Ieltsin, o primeiro líder russo pós-soviético que preparou o palco para Putin ganhar a presidência ao renunciar ao cargo.

Recomendadas

Itália. Encontrar ministros ‘aceitáveis’ pelo Presidente será desafio para Meloni

Vencedor das eleições de domingo à frente de uma coligação de direita e extrema-direita que poderá ter a maioria dos lugares parlamentares, o partido Irmãos de Itália “cresceu, mas a classe dominante permaneceu a mesma do que quando pesava 1%” dos votos, disse à Lusa Francesco Costa, diretor do site de notícias Il Post e especialista em política internacional.

Ex-governante dos EUA Mike Pompeo diz que acabou era da “cooperação cega” com China

“Se queremos um século XXI livre, não o século chinês, aquele com que [o Presidente da China] Xi Jinping sonha, o velho paradigma da cooperação cega deve acabar”, afirmou, num fórum económico em Kaohsiung.

União Europeia e NATO concordam emitir nova declaração conjunta

Num encontro mantido ontem, Ursula von der Leyen e Jens Stoltenberg falaram sobre a agressão russa contra a Ucrânia e sobre o aumento do apoio a este país, para além da cooperação entre Bruxelas e a aliança atlântica, de acordo com o que partilharam nas suas redes sociais.
Comentários