Fusões e aquisições de empresas em Portugal movimentam 12,4 mil milhões até novembro

O negócio do mês de novembro foi a venda, pela SIBS, da participação de 25% na Via Verde para a Ascendi e a Brisa. A operação foi assessorada pelas sociedades VdA e PLMJ.

O mercado transacional português registou, até novembro, 468 transações e movimentou 12,4 mil milhões de euros, sendo que, das mais de quatro centenas de negócios, apenas 47% tiveram os seus valores revelados ao mercado, de acordo com o relatório mais recente divulgado pela plataforma tecnológico-financeira Transactional Track Record (TTR) e pela empresa de software de gestão de transações Datasite.

O número de transações registou assim um aumento de 28% no acumulado deste ano, em comparação ao mesmo período de 2020, mas houve uma diminuição de 32% na quantidade de capital mobilizado. Só no mês passado foram registadas 45 operações de M&A (Mergers & Acquisitions), num total de 1,2 mil milhões de euros.

O negócio destacado pela TTR no mês passado foi a venda, pela SIBS, da participação de 25% na Via Verde para a Ascendi e a Brisa. A operação foi assessorada pelas sociedades de advogados VdA e PLMJ.

Espanha continua a ser o país que mais investiu em Portugal este ano, contabilizando 56 operações. Os Estados Unidos surgiram em segundo lugar, com 41 operações. As empresas norte-americanas aumentaram em 192% suas aquisições no mercado português, mobilizando 1,5 mil milhões de euros no período em análise. Já os britânicos fizeram 25 compras.

Sem surpresas, o sector da tecnologia voltou a liderar no ranking como o mais ativo, com 94 transações, tendo o imobiliário ficado na segunda posição, com 72 operações, e o financeiro (banca e seguros), como totalizou 48 transações, fixou-se no terceiro lugar.

“Até novembro de 2021, foram contabilizadas 35 transações de private equity com um total de 2,1 mil milhões de euros. Houve uma diminuição de 2% no número de operações em comparação ao mesmo período de 2020. Em venture capital, foram realizadas 103 rondas de investimentos com um total de 1,5 mil milhões, representando um aumento de 87% no número de transações”, lê-se no relatório publicado esta segunda-feira.

Ranking de assessores financeiros (valor e número de operações)

Credit Suisse – 1.755,40 milhões de euros
Goldman Sachs  – 1.683,40 milhões de euros
Barclays – 1.155,40 milhões de euros
Deloitte Corporate Finance – 528 milhões de euros
Lazard e Banco Santander – 3 transações

Ranking de assessores jurídicos (valor e número)

Uría Menéndez – Proença de Carvalho – 3.728,65 milhões de euros
VdA –  3.573,20  milhões de euros
Linklaters Portugal – 1.810,04 milhões de euros
Morais Leitão – 24 transações
Garrigues Portugal – 21 transações
SRS Advogados e PLMJ – 19 transações

Recomendadas

Ordem dos Advogados alerta conselhos regionais para “desequilíbrios orçamentais”

Segundo a Ordem dos Advogados, o conselho regional do Porto foi o único entre os sete que existem no país que apresentou um orçamento equilibrado, mas “está em risco de perder as suas instalações”

PremiumParpública escolhe VdA para assessorar venda da Efacec

O Governo depois de analisar vários cenários optou por retomar o processo de privatização da Efacec e já há caderno de encargos.

Premium“M&A pode ter algum abrandamento mas vai continuar dinâmico”

Num ano marcado pela incerteza gerada pelo conflito na Ucrânia, pela escalada da inflação e pela subida dos juros, áreas de prática como Energia e Reestruturações deverão ter grande atividade, diz a líder da Abreu. M&A permanece dinâmico graças a sectores como tecnologia.
Comentários