Futuro do trabalho será marcado pela “flexibilidade e confiança”, defende COO do LinkedIn

Daniel Shapero, COO da rede social destacou que as empresas ficaram “aterrorizadas” quando perceberam durante a pandemia que os seus colaboradores continuam a desempenhar bem as suas funções sem terem a necessidade de estarem nos escritórios.

O futuro do trabalho a nível mundial vai ser marcado pela flexibilidade e confiança entre as empresas e os seus colaboradores. A ideia foi defendida por Daniel Shapero, Chief Operating Officer (COO) do LinkedIn, durante um painel dedicado a este tema na Web Summit esta sexta-feira, 4 de novembro.

“A flexibilidade e confiança serão duas das principais tendências de 2023 no mercado de trabalho a nível global”, afirmou, salientando que este cenário começou a mudar com a pandemia. ” Durante este período, as empresas perceberam que os seus colaboradores conseguiam fazer o seu trabalho fora do escritório, e isso deixou os seus responsáveis aterrorizados”, referiu.

Para Daniel Shapero, o mercado de trabalho vai ter de lidar uma dicotomia: “por um lado, as pessoas conseguem trabalhar em qualquer lado, mas as relações interpessoais são fundamentais para o que trabalho em equipa funcione”, sublinhou.

Com o regresso à normalidade as empresas voltaram a pedir aos seus colaboradores para regressarem aos escritório, mas é aqui entra a importância da confiança, de acordo com o COO. “Os trabalhadores retaliaram com o argumento de que podem desempenhar as suas funções em qualquer lugar e que tem de existir essa confiança por parte da empresa”.

No caso do LinkedIn, Daniel Shapero assume que a empresa é muito flexível e confia no trabalho de cada uma das equipas, não existindo a imposição de estarem no escritório. “Claro que incentivamos as pessoas a regressar porque acreditamos que será uma experiência melhor para todos, e é importante que o casamento destas duas ideias funcione”, afirmou.

Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.
Comentários