Futuro governo. Começa baile de nomes

O Presidente da República deverá empossar o novo governo daqui a quatro semanas. Na ronda de conversações, que hoje inicia, Cavaco Silva recebe ao final da tarde Pedro Passos Coelho, número um da coligação Portugal à Frente, que junta PSD e CDS e foi a mais votada nas eleições de domingo. A imprensa de hoje […]

O Presidente da República deverá empossar o novo governo daqui a quatro semanas. Na ronda de conversações, que hoje inicia, Cavaco Silva recebe ao final da tarde Pedro Passos Coelho, número um da coligação Portugal à Frente, que junta PSD e CDS e foi a mais votada nas eleições de domingo.

A imprensa de hoje abre o baile de nomes que vão integrar o próximo executivo liderado por Passos Coelho. O Correio da Manha, por exemplo, noticia que metade dos atuais membros do Governo não deverá integrar o futuro elenco governativo da coligação PSD/CDS. O jornal traz à liça para a área governativa o nome de Rui Rio.

Entre os ministros que estarão de saída, o CM aponta os nomes de Rui Machete, Miguel Poiares Maduro, Anabela Rodrigues, Pires de Lima, Paula Teixeira da Cruz, Nuno Crato e Paulo Macedo.

Maria Luís Albuquerque é assim um nome que se mantém em ação, tendo já, segundo este jornal, adiantado o trabalho de preparação do programa orçamental provisório a apresentar em Bruxelas até ao próximo dia 15.

O mesmo jornal avança o nome de Helena Roseta para a presidência da Assembleia da República, referindo que a escolha do próximo líder do Parlamento é “uma das primeiras cedências do PSD/CDS às intenções socialistas”.

OJE

Recomendadas

Governo adota estratégia para aumentar “peso e influência” portuguesa em instituições da União Europeia

A informação foi avançada à agência Lusa, no dia em que o Governo se reúne em Conselho de Ministros, pelo secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, que defendeu ser “imperativo aumentar a representatividade de Portugal nas instâncias europeias, nos quadros e, em particular da Comissão, onde o défice é maior, para [Portugal] ter mais peso e uma maior capacidade de influência no processo de decisão europeu”.

Inflação desacelera em novembro para 9,9%

“A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor terá diminuído para 9,9% em novembro, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais à observada no mês anterior”, revela o INE.

Pensões devem subir mais do que anunciado pelo Governo porque inflação superou estimativa

O Governo prometeu que reviria as atualizações das pensões previstas para janeiro, caso a inflação superasse a estimativa. A estimativa rápida conhecida esta quarta-feira indica que os preços subiram mais do que se estava à esperança, o que abre a porta a aumentos mais robustos para os pensionistas em 2023.