Galp arrasta PSI para terreno negativo

“A indicação de que tanto as exportações como as importações na China recuaram mais que o previsto em novembro parece ter reacendido os receios relacionados cenários de recessão”, revela a análise do Millennium BCP Investment Banking.

Daniel Munoz/Reuters

O PSI recua 0,91%  para 5.799,67 pontos numa Europa em queda à exceção da Grécia que fechou no verde.  Por cá a Galp liderou as perdas -3,68% para 11,64 euros. A NOS seguiu-se a cair -1,92% para 3,78 euros, O BCP perdeu -1,28% para 0,1465 euros; os CTT desceram -1,23% para 3,22 euros; a EDP recuou -1,13% para 1,224 euros; e a Sonae deslizou -0,84% para 0,9455 euros.

A Greenvolt foi a estrela das três subidas, ao valorizar +0,75% para 8,06 euros; a Semapa avançou +0,29% para 13,78 euros; e a Jerónimo Martins avançou +0,10% para 20,62 euros.

A sessão foi de queda para a generalidade dos principais índices de ações europeus, num sentimento que é partilhado pelas congéneres de Wall Street.

“A indicação de que tanto as exportações como as importações na China recuaram mais que o previsto em novembro parece ter reacendido os receios relacionados cenários de recessão”, revela a análise do Millennium BCP Investment Banking.

“O setor de Recursos Naturais acabou assim entre os mais castigados. O Energético foi condicionado pela queda dos preços do petróleo. A escapar esteve o Farmacêutico, animado pelos disparos da GSK, Sanofi e Haleon, após uma decisão judicial favorável nos EUA, segundo a análise da MTrader.

Na Europa o EuroStoxx 50 caiu 0,46% para 3.920,9 pontos; o Stoxx 600 recuou 0,47%. Os índices europeus fecharam quase todos na mesma linha.

O FTSE 100 caiu 0,43% para 7.489,2 pontos; a CAC 40 recuou 0,41% para 6.660,6 pontos; o DAX perdeu 0,57% para 14.261,2 pontos; o FTSE MIB caiu 0,10% para 24.241,3 pontos; e o IBEX fechou a perder 0,50% para 8.290,5 pontos.

Nas empresas destaque para o BBVA que vai emitir dívida de 8 mil milhões de euros, em diferentes tipologias (incluindo  CoCos, dívida sénior e títulos hipotecários para MREL) e o Crédit Agricole vendeu uma tranche de 63,7% do banco Crédit du Maroc.

Na macroeconomia, o crescimento homólogo do Produto Interno Bruto (PIB) da zona euro abrandou, no terceiro trimestre, para os 2,3%, face aos 4,2% do mesmo período de 2021, segundo uma estimativa hoje divulgada pelo Eurostat. O euros sobe 0,35% para 1,0504 dólares.

O Brent, referência na Europa, caiu 1,54% para 78,13 dólares o barril.

A dívida pública alemã regista uma queda de 1,67 pontos base para 1,78%; a dívida portuguesa cai 4,86 pontos base para 2,66% e Espanha vê os juros recuarem 3,57 pontos base para 2,76%. Também Itália tem os juros em queda de 4,63 pontos base para 3,6%.

Recomendadas

Abordagem da Fed para controlar inflação anima Wall Street no fim da sessão

A bolsa de Nova Iorque fechou a sessão desta terça-feira, 31 de janeiro, com um sentimento positivo devido à abordagem da Reserva Federal (Fed) para controlar a inflação um dia antes da decisão política do banco central norte-americano. No início da sessão, o S&P 500 cresceu 1,46%, para 4,076.26 pontos, o tecnológico Nasdaq valorizou 1,67%, […]

Bolsa de Lisboa fecha sessão no ‘verde’ com BCP a liderar ganhos

As principais bolsas europeias terminaram divididas, com o DAX (Alemanha) e o CAC 40 (França) a registarem valorizações de 0,01%, enquanto o FTSE 100 (Reino Unido) perdeu 0,16% e o IBEX 35 (Espanha) depreciou 0,15%.

Wall Street arranca sessão com todos os índices no ‘verde’

A bolsa de Nova Iorque iniciou a sessão com sinais positivos nos três principais índices, apesar da queda das ações da McDonald’s.
Comentários