Galp sobe 4,5% e puxa pela Bolsa de Lisboa

O acordo da OPEP para cortar 1,2 milhões de barris por dia na sua produção, que levou a uma escalada dos preços do petróleo, cujos futuro disparam cerca de 8%. As praças europeias fecharam em alta.

A notícia do acordo da OPEP para cortar 1,2 milhões de barris por dia na sua produção, que levou a uma escalada dos preços do petróleo, está a sustentar os títulos ligados aos combustíveis.

Em Lisboa a Galp foi a estrela da sessão ao subir 4,5% para 12,765 euros por acção. Mas não foi caso único. Em Espanha a Repsol fechou a subir 4,84% elevando o índice Ibex em 0,24%; em França a Total ganhou 2,38% na bolsa, elevando o índice CAC 40 em 0,59%.

Do lado das quedas destaque para a Mota Engil que desvalorizou 0,85%.

O PSI 20 fechou a subir 0,90% para 4.454,87 pontos, com 11 cotadas em alta. A Semapa subiu 1,04%, a Sonae Capital ganhou 1,42%, a Navigator que ontem divulgou os resultados de Setembro, valorizou 0,79%. A EDP que viu o rating da S&P manter-se ganhou 0,63% na bolsa e o BCP valorizou 0,41% para 1,18 euros.

O DAX alemão fechou nos 10.640,3 pontos, valorizando 0,19% face à sessão anterior. Londres fechou a subir 0,17%.

O petróleo está em forte alta nos mercados, o Brent, referência na Europa, valoriza 7,91% para 50,05 dólares e em Nova Iorque o NYMEX WTI Crude ganha 8,18% para 48,93 dólares.

 

 

Recomendadas

Cotação do barril Brent para entrega em novembro baixa para 87,96 dólares

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em novembro terminou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres em baixa de 0,73%, para os 87,96 dólares.

Wall Street encerra sessão com principais índices a perder mais de 1,50%

No momento de fecho o Dow Jones recua 1,71%para 28.725,84 pontos, o S&P 500 cede 1,51% para 3.585,40 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,51% para 10.575,62 pontos. 

PremiumAções com pior mês desde junho e pode não ficar por aqui

Libra em forte desvalorização e juros da dívida do Reino Unido disparam após polémico “mini-orçamento” de Liz Truss.
Comentários