GamaLife mais do que duplica lucros para 86,4 milhões no primeiro semestre

Matteo Castelvetri, CEO da GamaLife, diz estar “satisfeito com a resiliência do negócio em mercados tão difíceis”, numa altura em que preparam a abertura da filial em Itália e preveem encerrar a compra da unidade de negócios da Zurich até ao final do ano.

A Gamalife, a antiga seguradora do Novobanco, mais do que duplicou os lucros no primeiro semestre. A seguradora obteve um resultado positivo de 86,4 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano, o que representa um aumento de 142% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O resultado líquido foi impulsionado principalmente pela quase total libertação da provisão para compromissos de taxa (Liability Adequacy Test), num total de 109 milhões de euros antes de impostos. A libertação desta provisão deveu-se à subida das taxas da divida publica portuguesa criando volatilidade nas contas da empresa que não reflete verdadeiramente o desempenho do negócio”, explica a GamaLife num comunicado divulgado esta quarta-feira na CMVM.

Por outro lado, refere, “o aumento das taxas de juro e dos spreads de crédito teve também um efeito negativo no valor dos ativos financeiros e no valor patrimonial líquido em junho de 2022”.

Já a produção total acumulada da GamaLife no primeiro semestre de 2022 foi de 137 milhões de euros, representando uma diminuição de 49% em comparação com o mesmo período do ano anterior, “refletindo a oferta de produtos da empresa durante um período de preocupações inflacionistas e de intensa volatilidade nos mercados financeiros”, pode ler-se no relatório.

Quanto aos custos, a GamaLife registou um aumento de 11,2 milhões de euros para 11,7 milhões. Uma subida que diz  refletir “novos recrutamentos, assim como custos de projetos, tais como a preparação para a implementação da IFRS17 e IFRS9, e a anunciada aquisição em Itália”.

Por outro lado, o capital próprio da GamaLife diminuiu em cerca de 46 milhões de euros para 191 milhões de euros, “refletindo a forte diminuição das reservas de reavaliação que naturalmente traduzem os movimentos observados a nível dos mercados de capitais e o resultado dos primeiros seis meses líquido da distribuição de resultados de 15 milhões de euros aprovada na Assembleia Geral Anual da Companhia e liquidada em abril”.

“Estou satisfeito com a resiliência do nosso negócio em mercados tão difíceis, que nos permite continuar a concentrar-nos nos nossos clientes, apoiar os nossos distribuidores e construir as nossas operações. Estamos a fazer bons progressos na preparação da abertura da nossa filial em Itália, e esperamos encerrar a aquisição da unidade de negócios da Zurich até ao final do ano”, afirma Matteo Castelvetri, CEO da GamaLife, citado no comunicado.

Em janeiro, a seguradora anunciou ter comprado uma unidade de negócios da Zurich Investments Life, em Itália. Uma operação que representa um investimento de quase 128 milhões de euros, abrangendo mais de 180 mil apólices representadas por ativos de 8,4 mil milhões de euros.

(Notícia atualizada com mais informação)

Recomendadas

Sindicatos atentos ao fundo pensões do BCP

Os Sindicatos Verticais da Banca asseguram aos associados do BCP que tudo farão “na defesa dos seus interesses no Fundo de Pensões do banco”.

BCE vigia 31 bancos por riscos associados à subida das taxas de juro

Banco Central Europeu lançou uma revisão dos riscos de taxa de juro e spread de crédito para avaliar a exposição dos bancos. Numa primeira fase irá monitorizar 31 instituições financeiras

BPI reduz participação qualificada na Conduril para 9,62%

O Banco BPI reduziu a sua participação qualificada no capital da Conduril de 10,17% para 9,62%, de acordo com um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
Comentários