PremiumGarantia estatal para empresas após moratórias vai ter limite de 10 milhões

Estado vai garantir 25% do crédito às empresas mais afetadas pela pandemia que acordem com banca uma reestruturação da dívida após o fim das moratórias, mas haverá um limite máximo por devedor.

O Governo vai estabelecer um limite máximo por devedor às garantias públicas que serão prestadas, no fim das moratórias, no âmbito da reestruturação do crédito de empresas dos sectores mais afectados pela pandemia.

Segundo apurou o Jornal Económico (JE), a garantia estatal terá um limite, por devedor, de 10 milhões de euros. Isto significa que só os créditos até 40 milhões de euros serão elegíveis para a garantia pública de 25% já anunciada pelo Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Contrato da CEO da TAP: “Não é só falta de retificação, é falta de aprovação”

O advogado Rogério Alves reagiu à notícia avançada pelo Jornal Económico. O contrato de Christine Ourmières-Widener com a TAP não só não foi retificado em AG como não foi aprovado. “Isto politicamente tem um custo”, diz.
Comentários