Gás de garrafa. Apetro aconselha compra de botijas que contenham somente selo inviolável

Associação vem alertar para a existência de “negócios ilícitos” que promovem “fraudes nas botijas de gás”.

A Associação Portuguesas de Empresas Petrolíferas (Apetro) veio hoje lançar um alerta que estão a ter lugar “fraudes nas botijas de gás” onde “negócios ilícitos” estão a colocar em risco os consumidores.

“Recentes notícias da atividade da ASAE e da ENSE no setor do gás embalado, permitem-nos constatar que, embora esporádicos, não estão erradicados comportamentos e intervenções pouco escrupulosas de indivíduos que se servem das mais variadas práticas de fraude no enchimento e na comercialização de botijas de gás butano/propano, para promoverem negócios ilícitos”, segundo um comunicado divulgado hoje pela Apetro.

Estas práticas “não só representam uma clara ausência de compromisso com a legalidade, nomeadamente a que são impostas por Regulamentos e Normas de operação, mas significam também uma ausência total de procedimentos de segurança, pondo assim em risco não só os próprios como o consumidor a quem tentam vender o seu produto”.

A Apetro considera assim pertinente relembrar que as “garrafas de gás legalmente comercializadas, têm marca reconhecida, presença e reputação consolidadas, pois a sua atividade obedece a todos os requisitos de operação, segurança e comercialização que estão definidos, não apenas no contexto nacional, mas também no contexto da UE”.

“Uma importante consequência, é que todas estas garrafas possuem um selo que permite garantir a sua inviolabilidade, após o enchimento, até que chegue ao consumidor, bem como um conjunto de informações complementares que resultam das exigências de rotulagem e identificação impostas por um conjunto de Diretivas e Regulamentos de âmbito Europeu – por isso é de extrema importância que o consumidor esteja atento à selagem da válvula da garrafa”, segundo a associação que conta com António Comprido como secretário-geral.

As empresas petrolíferas recordam que “todas as garrafas, quando regressam vazias às instalações de enchimento das entidades que possuem a respetiva licença para essas operações, as quais requerem pessoal e equipamentos apropriados e de “layout” complexo, são verificadas uma a uma e excluídas as que não se apresentam em boas condições, de acordo com critérios bem definidos e testados.”

“Quem se propõe agir de forma clandestina, promovendo operações perigosas para tentar vender este produto de forma enganosa, pratica deliberadamente um ato irresponsável e perigoso, que tem sido possível detetar e interromper, graças à ação eficaz e diligente das entidades fiscalizadoras. Fica assim o alerta para o consumidor, para que esteja atento e seja exigente com o seu revendedor, quando adquire este produto”, de acordo com o comunicado que conta com a assinatura do diretor técnico da Apetro, José Alberto Oliveira.

Recomendadas

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.

Unicórnio Feedzai nomeia David Henshall para o conselho de administração

O antigo presidente e CEO da norte-americana Citrix Systems juntou-se à gestão da empresa liderada por Nuno Sebastião, conhecida pela sua plataforma digital de gestão de risco e fraude financeira.
Comentários