Gás e eletricidade: 18 mil consumidores estão pouco satisfeitos com fornecedores

Contratar o fornecedor com os melhores preços ajuda a poupar na fatura, mas conhecer o que mais satisfaz os consumidores pode evitar conflitos. Um inquérito da Deco/Proteste revela que “os níveis de satisfação global são pouco elevados”.

A Deco/Proteste revela que 18 mil consumidores já avaliaram os seus  fornecedores de electricidade e gás. Em contratos separados ou conjuntos de gás e eletricidade, os níveis de satisfação global são pouco elevados, sobretudo entre os fornecedores de gás natural onde todos se ficam pelas duas estrelas, num total de classificação de cinco estrelas, revela o inquérito realizado por esta publicação especializada aos seus associados.

“Nas empresas de eletricidade, as diferenças são maiores. A Enat destaca-se com quatro estrelas na satisfação global. A fiabilidade do serviço, os serviços disponíveis online e a transparência das faturas foram pontos a favor”, revela a Deco/Proteste.

Já, segundo esta publicação, a Galp On e a Goldenergy foram as empresas de eletricidade e de gás com “mais problemas”. E sinaliza a Goldenergy  como a empresa que “ mais problemas gerou no último ano aos consumidores com um contrato conjunto de gás e electricidade”.

Falhas de facturação são problemas mais comuns

Na categoria de fornecimento de eletricidade, a Deco/Proteste explica que no 12 meses anteriores ao preenchimento do questionário, 25% dos inquiridos referiram ter tido, pelo menos, um problema com o fornecedor. Os mais comuns deveram-se a falhas na faturação (27%) e a informação incompleta ou errada (24%).

O inquérito realizado pela Deco/Proteste revela que ao nível dos fornecedores de electricidade só Enat – que mercado liberalizado português, no segmento doméstico – recebe uma classificação de quatro estrelas.  Com três estrelas foram pontuadas a Energia Simples (comercializadora da empresa PH Energia), a Ylce (YLCE (Yes Low Cost Energy, a marca da empresa Enforcesco para fornecer electricidade no mercado livre) e a Luzboa (começou a operar em janeiro de 2015, com a particularidade de ser uma empresa 100% online).

Já com a classificação de duas estrelas surgem seis empresas: EDP Comercial, EEM (Madeira), EDP Serviço Unoversal, Galp On, Iberdrola e Endesa. Na cauda da tabela, com uma estrela, ficaram a EDA (Açores) e a Goldenergy.

Gás: clientes descontentes com falhas facturação e informação incompleta

Nos fornecedores de gás natural, a Deco/Proteste revela que no 12 meses anteriores ao preenchimento do questionário, 17% dos inquiridos referiram ter tido, pelo menos, um problema com o fornecedor. Os mais comuns deveram-se a falhas na faturação (34%), informação incompleta ou errada (18%) e problemas no pagamento (14%).

Nesta categoria, foram atribuídas duas estrelas na classificação às nove empresas alvo de inquérito atribuída pelos clientes associados da Deco/Proteste.

Quando a análise recai sobre o mesmo fornecedor de electricidade e gás natural também os níveis de satisfação, segundo esta publicação, são pouco elevados com duas estrelas atribuídas à EDP Comercial, Galp On e Endesa e apenas uma à Goldenergy.

O inquérito foi realizado entre março e abril de 2017, a uma amostra dos nossos associados. Recebemos 8298 respostas às quais juntámos as do estudo anterior, para aumentar a estabilidade dos resultados, perfazendo um total de 17 991. Podemos assim divulgar as avaliações de 12 fornecedores de eletricidade, 9 de gás natural e 4 da oferta dual (mesmo fornecedor de gás e eletricidade).

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Turismo do Centro teme retração de mercados internacionais em 2023

“O que temos mais certo é o imprevisível”, afirmou Pedro Machado, que falava aos jornalistas em Coimbra, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Turismo, que se celebra na terça-feira.

Euro cai para novo mínimo de 20 anos depois de viragem à direita em Itália

“A União Europeia (UE) e a zona euro estão numa situação difícil: não só a Europa está a sofrer uma verdadeira crise energética, mas agora a direita em Itália está também a registar uma vitória histórica”, disse o economista-chefe do VP do Banco Thomas Gitzel, citado pela Efe, que acrescenta que o veredicto dos mercados financeiros sobre o assunto é claro.
Comentários