Gazprom corta abastecimento de gás para Kiev

A Gazprom, companhia de gás russa, voltou a cortar o abastecimento de gás à Ucrânia por falta de pagamento.

A Gazprom, companhia de gás russa, voltou a cortar o abastecimento de gás à Ucrânia por falta de pagamento.

O presidente da Gazprom, Alexey Miller, refere que o corte ocorreu nesta quarta-feira (25) após a Gazprom fornecer a quantidade de metano referente aos pagamentos realizados por Kiev. A empresa aguarda agora novos pré-pagamentos para restabelecer o serviço.

Ao não comprar gás russo, Kiev cria sérios riscos ao abastecimento de gás na Europa, cujo tem de atravessar o território ucraniano, para além de pôr em causa o abastecimento de gás aos próprios consumidores ucranianos no inverno que se aproxima, explica Miller.

A impressa local refere que já há centenas de casas com o abastecimento interrompido. Desde 12 de outubro, após uma breve interrupção, o serviço da Gazprom estava a funcionar normalmente. Nessa altura foi firmado um acordo entre Moscovo e Kiev, válido até março de 2016. Este acordo obrigava à redução do preço do gás para os preços praticados em países próprios e obrigava o Governo ucraniano a fazer o pré-pagamento do combustível.

No entanto, analistas acreditam que a medida é também uma forma de “punir” o governo ucraniano pelo blackout elétrico na região da Crimeia, anexada pela Rússia em março de 2014, enquadra a agência de notícias ANSA.

O problema do abastecimento de gás à Europa proveniente da Rússia e com passagem pela Ucrânia remonta a 2009, quando a falta de pagamento causou uma grave crise energética em toda a Europa. Posteriormente algumas falhas pontuais no abastecimento foram resolvidas rapidamente.

OJE

Recomendadas

Saídas de capital do Credit Suisse quase estancadas e já se nota regresso de depositantes de elevado património

O banco deverá ter perdido cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos, devido a desconfianças dos clientes relativamente à solvabilidade da instituição.

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.