Gazprom corta distribuição de gás para Itália

A Gazprom fornece gás a Itália através de um gasoduto que passa também pela Áustria, mas este corte terá apenas o território como alvo.

Gazprom (43.23 mil milhões)​

A Gazprom suspendeu as entregas de gás natural para Itália, numa decisão que promete aumentar ainda mais a crise energética que se vive na Europa, informa a “Bloomberg” este sábado, 1 de outubro.

“A partir de hoje, a Gazprom não vai fornecer mais gás para a Eni”, revelou um porta-voz da Eni SpA, a maior empresa petrolífera de Itália.

A Gazprom fornece gás a Itália através de um gasoduto que passa também pela Áustria, mas este corte terá apenas o território como alvo.

A empresa controlada pelo Estado russo Gazprom divulgou um comunicado este sábado onde indica que suspendeu os fluxos de gás da Áustria para Itália, já que a operadora austríaca recusou confirmar as “nomeações de transporte” após mudanças regulatórias implementadas na Áustria no final de setembro. A Gazprom informou ainda que continua a trabalhar na resolução deste problema com os compradores italianos.

A Itália já tinha garantido reservas de gás vindas do norte da África para compensar qualquer escassez durante o inverno caso a Rússia decidisse cortar as exportações para o país. O corte do gás italiano acontece dias depois de erupções submarinas paralisarem os principais gasodutos Nord Stream que ligam a Rússia à Europa.

Por sua vez, as forças armadas da Noruega intensificaram as patrulhas das instalações de energia do país e a Alemanha, a França e o Reino Unido ofereceram-se para ajudar a proteger as instalações de petróleo e gás no Mar do Norte. Já a NATO também está a usar as suas capacidades navais e aéreas para controlar os mares do Báltico e do Norte.

Com o Nord Stream fora de operação, existe apenas um grande gasoduto que leva gás natural direto para a Europa. E essa rota, que passa pela Ucrânia, parece cada vez mais vulnerável.

Recomendadas

Eletricidade. Aprovado plano de desenvolvimento e investimento no valor de 475 milhões de euros

Em atualização. Foi aprovado esta quarta-feira o Plano de Desenvolvimento e Investimento da Rede de Transporte de Eletricidade para o período 2022 a 2031. Montante previsto é de 475 milhões de euros.

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.

Energia? Agricultura conta com 90 milhões de euros em apoios desde 2021

O secretário de Estado da Energia, João Galamba, assegurou este domingo que o sector agrícola dispõe, em matéria de energia, de um “balão de oxigénio” de 90 milhões de euros, distribuídos em dois anos.
Comentários