Geração livre de tabaco. Relatório defende que idade mínima para fumar deve subir todos os anos

A ideia é que uma inteira geração de jovens fique proibida de fumar. Pandemia provocou aumento no número de fumadores.

Lindsay Fox / www.ecigarettereviewed.com

Um relatório encomendado pelo governo do Reino Unido recomendou aumentar a idade legal para fumar a cada ano, efetivamente proibindo gerações mais jovem de poder comprar cigarros.

Assim, o relatório, citado pela “Bloomberg”, sugere que a idade mínima para comprar cigarros e outros produtos do tabaco fosse aumentada a partir dos 18 anos, a cada ano. Se a medida entrar em vigor dentro de várias décadas, ninguém no Reino Unido será capaz de comprar estes produtos.

O relatório também aponta que proporção de jovens de 18 a 24 anos que fumam aumentou de um em cada três para um em cada quatro durante a pandemia de Covid.

O objetivo com o aumento da idade mínima é tornar o Reino Unido livre de fumo até 2030, imitando uma política planeada na Nova Zelândia. A política do governo endossou os fumadores a mudarem para produtos vaping, que alguns estudos mostraram ser menos prejudiciais do que o tabaco.

O Reino Unido tem vindo a apostar em iniciativas com a diminuição do tabagismo na mira. Em dezembro de 2021 uma campanha da Better Health Smoke Free divulgou um estudo que indica que 4,9% dos adolescentes cujos pais fumam também o vão fazer.

Sobre os resultados a ministra da Saúde do Reino Unido, Maggie Throup, admitiu esperar que o estudo desse aos pais uma motivação extra para parar de fumar.

“Sabemos que muitas pessoas tentam parar de fumar em janeiro e, embora existam tantos bons motivos para parar de fumar por si mesmo, esperamos que esta nova campanha – destacando a ligação do tabagismo entre gerações com pais influenciando seus filhos – seja a motivação adicional de que muitos precisam se livrar dos cigarros definitivamente este ano “, referiu.

 

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários