PremiumGestão tem de ser capacitada para aproveitar tecnologia

As empresas tornarem-se organizações direcionadas pela inteligência obriga a uma transformação cultural, dizem os participantes na conferência “Liderar com Inteligência Artificial”.

Os gestores têm de ganhar competências para que as suas organizações possam utilizar melhor as capacidades da inteligência artificial, concordaram os participantes na conferência “Liderar com Inteligência Artificial”, promovida pela Microsoft Portugal e da qual o Jornal Económico foi media partner. Concluíram, também, que um maior aproveitamento de ferramentas para retirarem conhecimento dos dados passa por uma transformação cultural das empresas.

“A inteligência artificial não é mais do que trabalhar melhor com dados”, afirmou Sandra Miranda Ferreira, Customer Success Lead da Microsoft Portugal. “O mercado falou durante muito tempo em organizações data driven, direcionadas por dados, eu creio que estamos a entrar muito mais na era das organizações intelligence driven, direcionadas por inteligência”, disse.

Além de Sandra Ferreira, participaram na conferência “Liderar com Inteligência Artificial” Luís Carvalho, Senior Vice President of Technology, Global Platform, da Farfetch; e Ricardo Chaves, Chief Commercial Officer da SIBS.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Tribunal de Contas não afasta cenário de novas injeções de capital no Novobanco

O juiz conselheiro relator do relatório da auditoria do Tribunal de Contas à gestão do Novobanco, José Quelhas, referiu hoje que não está afastado o cenário de novas injeções de dinheiro público no ex-BES.

Dionísio Pestana pede reforma dos impostos como apoio às empresas

O presidente do Grupo Pestana afirma não precisar de ajudas diretas, perante o cenário de incerteza, mas pede ao Governo que avance com uma reforma nos impostos, apontando para a TSU.

Capgemini Portugal estima que receitas cresçam 16% em 2022 e tem 600 vagas de trabalho por preencher

A consultora tecnológica revelou ainda que está prestes a lançar o quarto laboratório de investigação no país, que será dedicado à cibersegurança da computação quântica e para a qual estão alocados cinco doutorados.
Comentários