“God save the King”. Liz Truss descreve Rainha Isabel II como uma “inspiração pessoal” e oferece “lealdade” ao rei Carlos III

“Com o passar da segunda era Isabelina, caminhamos agora para uma nova era no nosso grandioso país, exatamente como a sua majestade desejaria, ao aclamarmos as palavas: Deus abençoe o rei”, concluiu Lizz Truss.

Toby Melville/Reuters

A recém-nomeada para o cargo de primeira ministra britânica lamentou a morte da rainha Isabel II num discurso feito às portas do número 10 em Downing Street, oferecendo as suas condolências à família real, bem como “lealdade e devoção” ao novo monarca – o filho da rainha, rei Carlos III.

“Estamos todos devastados”, começou por referir Liz Truss ao final da tarde de quinta-feira, após o anúncio da morte da monarca.

Descrevendo a morte da rainha Isabel II como “um enorme choque para a nação e para o mundo”, Liz Truss homenageou ainda o reinado de cerca de sete décadas de Isabel II, afirmando que a monarca delineou o caminho para a Grã-Bretanha dos tempos modernos, olhando para o seu reinado como “uma vida de serviço que se estende para além da nossa memória em vida”.

“O Reino Unido é o país que é agora por causa da rainha”, declarou Liz Truss.

A governante deixou as suas condolências à família real, e em especial ao novo monarca, rei Carlos III: “Lamentamos a morte da sua mãe”.

Agora é o momento de “nos unirmos como nação em suporte ao rei”, declarou, prometendo oferecer-lhe “lealdade e devoção”.

“Com o passar da segunda era isabelina, caminhamos agora para uma nova era no nosso grandioso país, exatamente como a sua majestade desejaria, ao aclamarmos as palavas: Deus abençoe o rei”, concluiu Liz Truss.

 

Relacionadas

Isabel II: uma rainha para a eternidade

Ao cabo de várias décadas de reinado, Isabel II soube preservar o essencial da monarquia britânica, que só os seus filhos e os seus netos haveriam de verdadeiramente colocar em causa. O seu desaparecimento deixa a instituição numa encruzilhada: manter a tradição ou modernizar-se. O mais provável é que mude qualquer coisa, na expectativa de que tudo fique na mesma.

Morreu a rainha do Reino Unido, Isabel II

A rainha do Reino Unido e chefe da Commonwealth faleceu esta quinta-feira, aos 96 anos, depois de ter sido anunciado que o seu estado de saúde tinha deteriorado. Isabel II reinou mais de 70 anos e deixa um legado incontornável na história mundial.
Recomendadas

Rainha Isabel II morreu de “velhice”, aponta atestado de óbito

O certificado também identifica o local da morte da rainha como “Castelo Balmoral”, a sua “residência habitual”

Conheça algumas das citações mais emblemáticas de Isabel II

“Declaro diante de todos vós que toda a minha vida, seja longa ou curta, será dedicada ao vosso serviço e ao serviço da nossa grande família imperial à qual todos pertencemos”, é uma das frases mais marcantes da rainha, que foi proferida no seu 21.º aniversário.

🔴 Em direto. Acompanhe o último adeus a Isabel II

Decorrem as cerimónias fúnebras da monarca britânica, após dez dias de luto. Centenas de líderes mundiais marcam presença no funeral de Isabel II, que morreu no dia 9 de setembro, aos 96 anos. Acompanhe em direto.
Comentários