Gonçalo Reis eleito para o Conselho de Administração Executivo da EBU

A estação publica integra pela primeira vez este órgão executivo da EBU (União Europeia de Radiodifusão). A eleição decorreu hoje, na Assembleia Geral da EBU em Genebra.

Cristina Bernardo

O Presidente do Conselho de Administração da RTP, Gonçalo Reis, foi hoje eleito para o Conselho de Administração Executivo da União Europeia de Radiodifusão.

“A RTP passa a integrar a administração executiva da EBU, associação europeia de operadores públicos de média”, diz o presidente do canal de televisão do Estado na sua página no Facebook.

A EBU integra 119 organizações, de 56 países, que representam uma audiência potencial de mais de mil milhões de pessoas.

“Isto abre uma série de oportunidades à empresa: tecnologia, formação, intercâmbio de conteúdos, co-produções, informação sobre tendências e melhores práticas dos operadores de referência, e é mais um passo na afirmação da RTP no contexto internacional”, adianta Gonçalo Reis.

A estação publica integra pela primeira vez este órgão executivo da EBU (União Europeia de Radiodifusão).

A eleição decorreu hoje, na Assembleia Geral da EBU em Genebra.

Segundo o comunicado da RTP esta eleição é o “reconhecimento internacional da capacidade da instituição em várias áreas, com destaque para a organização do Festival Eurovisão da Canção em 2018; a valorização de projetos inovadores a nível europeu, como é exemplo os arquivos RTP online; a liderança da RTP no comité digital da EBU, passando pela organização de eventos e assembleias temáticas da EBU que têm decorrido em Portugal”.

 

Recomendadas

TAP: Sindicato fala em adesão total à greve de tripulantes até às 08:30

“O balanço é prematuro, uma operação da TAP inicia-se por volta das 05:30 da manhã, o que sabemos até à data é que nenhum voo saiu sem ser serviços mínimos ou Portugália, portanto até agora a adesão é total”, disse à Lusa o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarroias, no aeroporto de Lisboa, cuja operação, às primeiras horas da manhã, funcionava dentro da normalidade.

Ocean Winds vence leilão e vai desenvolver projeto eólico offshore flutuante até 2 GW na Califórnia

A Ocean Winds – um consórcio da EDP Renováveis e da francesa Engie – e o Canada Pension Plan Investment Board vão desenvolver um projeto eólico offshore ao largo da costa central da Califórnia, comunicou esta manhã a EDP à CMVM. Em causa está uma licença com direitos de gestão de 32,5 mil hectares naquela área.

EDP conclui venda da central hidroeléctrica de Mascarenhas no Brasil

Com esta transação, a EDP reduz o peso da geração convencional e, nomeadamente, da exposição hídrica no Brasil, em linha com o plano estratégico 2021-2025 apresentado ao mercado em fevereiro de 2021.
Comentários