Google é o maior consumidor de energias renováveis do mundo

Gigante norte-americano anunciou esta semana ter ampliado as suas fontes de energia limpa


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031
A Google é a empresa que mais energia renovável consome no mundo, com 2 gigawatts de energia limpa contratada. Em julho, a Google comprometeu-se a triplicar o consumo de energia renovável antes de 2025. Naquela altura, a empresa tinha contratos por 1,1 gigawatts.

Nessa estratégia, o gigante norte-americano anunciou esta semana ter ampliado as suas fontes de energia limpa com a contratação de 781 megawatts adicionais de energia solar e eólica.
“Firmámos uma série de acordos mundiais que quase duplicam a nossa energia renovável no mundo, passando de 1,2 para 2 gigawatts e estamos a trabalhar para levar a energia renovável a 100% das nossas operações”, explicou Sam Arons, gestor de Energia e Infraestruturas da Google.

A empresa alcançou cinco acordos para adquirir energia de fábricas renováveis nos EUA, Chile e Suécia. A duração dos contratos oscila entre 10 e 20 anos e, segundo a Google, são os maiores contratos de energia renováveis firmados por uma empresa alheia ao setor energético.

OJE
Recomendadas

Banco de Fomento lança consulta pública para dois novos Programas de co-investimento em PME

Estando ainda disponível o montante de 475 milhões de euros para lançar novos Programas, “o BPF convida as empresas e todos os interessados a participar na consulta pública acerca de futuras soluções de capital e quase capital, com o objetivo de obter contributos sobre as condições de dois Instrumentos Financeiros pré-estruturados destinados a fomentar a constituição de empresas e/ou capitalização empresarial”, revela o banco liderado por Ana Carvalho.

Premium“Somos a ótica das pessoas e que traz o know how francês”, diz CEO do grupo MonOpticien

Em entrevista ao JE, o CEO do grupo MonOpticien, Florent Carriére, explica o modelo de subscrição que traz para Portugal. “O meu concorrente não é a Multióticas, é a a Netflix e o Spotify”, sublinha.

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.