Google Pay: o que é e como funciona?

Descubra como funciona o Google Pay e fique a par de todas as vantagens e desvantagens deste método de pagamento cada vez mais usado em todo o mundo.

Foi em novembro de 2020 que o Google Pay chegou a Portugal com a promessa de facilitar as transações e os pagamentos físicos e online. Há quem o considere semelhante ao MB Way, mas quais são as suas vantagens e desvantagens? Será realmente a forma mais simples de efetuar pagamentos? Conheça ao detalhe, neste artigo do ComparaJá, o que é, como funciona e descubra se esta pode ser a sua carteira digital.

O que é o Google Pay?

O Google Pay é uma carteira digital da Google que permite efetuar compras online e em lojas físicas sem ter de recorrer a dinheiro ou aos seus cartões bancários.

Uma carteira digital (e há muitas outras, como Apple Pay ou Samsung Pay, por exemplo) funciona da mesma forma que uma carteira tradicional, mas no telemóvel ou outro dispositivo. Permite que “guarde” métodos de pagamento compatíveis, como cartões de crédito e débito, sem necessidade da versão física dos cartões.

Através de qualquer dispositivo móvel Android e iOS, WearOS (utilizado em smartwatches) ou através do Google Chrome consegue fazer pagamentos digitais e Contactless, de forma rápida e segura.

O Google Pay permite a utilização de Cartões Visa e Mastercard, em Portugal e em todo o mundo, em TPA e também em e-commerce nas lojas online identificadas com o símbolo do serviço. Para pagar com esta aplicação, basta aproximar o dispositivo Android ao terminal de pagamento.

Quais são as suas vantagens?

Além de poder efetuar pagamentos, o Google Pay permite ainda enviar e receber dinheiro de familiares em segurança, criar grupos e dividir a conta rapidamente com amigos, conectar-se com as suas lojas e restaurantes preferidos e descobrir outros negócios novos.

Também pode usar o Google Pay para gerir melhor as suas finanças pessoais. Esta aplicação oferece a possibilidade de associar várias contas bancárias numa só aplicação e gerir assim mais facilmente os seus movimentos, saldos, transações e muito mais.

Pode ainda estabelecer um orçamento para as despesas diárias. Uma outra característica que tem conquistado os utilizadores é o facto de oferecer recompensas, como cashback, que pode ganhar facilmente ao convidar amigos e ao utilizar as várias funcionalidades do Google Pay.

Por último, todas as transações e movimentos efetuados através do Google Pay são protegidos através de tecnologia de alta segurança que detetam e impedem tentativas de spam, vírus e malware. Além disso, os pagamentos implicam o cumprimento de fatores de autenticação, como impressão digital, reconhecimento facial ou PIN. Desta forma os seus pagamentos estão protegidos.

Quais são as limitações do Google Pay?

Apesar das muitas vantagens e da simplicidade que introduz no dia-a-dia, o Google Pay algumas limitações fundamentais. Em primeiro lugar, ainda não é aceite por todos os comerciantes – mesmo que esteja a tornar-se mais abrangente, ainda existem muitos estabelecimentos que não aceitam esta forma de pagamento.

Também existem limites para os pagamentos via Google Pay, tal como com qualquer outro cartão contactless. Sem a necessidade de introdução de PIN, as transações não podem ser superiores a 50 euros, ou somar mais de 150 euros diários ou 5 compras consecutivas.

Mas há outras restrições importantes. Por exemplo, não pode utilizar o Google Pay para transações internacionais ou para enviar dinheiro para o estrangeiro. Vai necessitar sempre de uma ligação à internet para utilizar o Google Pay, que não funciona offline, e de um smartphone compatível, pois não está atualmente disponível em iPhones ou outros dispositivos.

Por fim, para utilizar em lojas físicas, o smartphone deve ser compatível com os pagamentos por aproximação (sistema NFC). Pode acontecer que o seu telemóvel tenha esta opção, mas não esteja ativa, pelo que deve verificar nas configurações do dispositivo.

Como começar a utilizar o Google Pay?

A instalação e utilização do Google Pay não podia ser mais simples. Basta descarregar a app, fazer o login com a sua conta google se já tiver ou criar uma nova e adicionar as formas de pagamento (os cartões de crédito ou débito) associados. Também é importante configurar o Google Pay como app de pagamento padrão.

Isso é feito nas configurações, especificamente no menu “App e notificações”. Depois, deverá acrescentar os seus métodos de pagamento à esta carteira digital. A app funciona com cartões de crédito/débito American Express, MasterCard, Visa ou Visa Electron.

Em alguns dispositivos móveis e planos de serviço, pode efetuar compras através do operador de telecomunicações. Em Portugal, este serviço está disponível para clientes Vodafone e MEO. Quando compra algo, verá a cobrança na conta do operador após 15 minutos. Para além disso, pode associar à conta de Google Pay o seu PayPal e my paysafecard.

Tenha em conta que não é possível utilizar o Google Play com transferências bancárias, Western Union, cartões de crédito virtuais ou cartões de transportes públicos.

Lembre-se sempre que os pagamentos digitais, independentemente se são realizados via Google Pay, MB Way ou outra plataforma, requerem alguma atenção por parte dos utilizadores para que situações de fraude, phishing ou semelhantes sejam evitadas.

Com o aparecimento de novos métodos de pagamento, surgem também novos perigos e técnicas aprimoradas para tentar aceder a contas bancárias e a dados pessoais. Cabe aos utilizadores informarem-se e manterem-se atentos aos movimentos das suas contas, efetuar compras online apenas através de sites seguros, não divulgar dados pessoais e suspeitar sempre que receberem mensagens ou emails suspeitos.

Relacionadas

MB Way: o que é e para que serve?

O MB Way veio revolucionar as transações do dia a dia, como fazer compras, levantamentos à distância e transferências imediatas. Saiba como usar.

Qual o melhor banco para abrir conta jovem em 2022?

No contexto atual, quanto mais cedo se começar a poupar, melhor. Descubra como escolher o melhor banco para abrir conta jovem.

Fundos de investimento: o que são e como escolher?

Está a pensar participar num fundo de investimento? Conheça as vantagens e os riscos a que deve estar atento e veja se este tipo de investimento é para si.

Recessão à vista: o que significa?

O risco de uma recessão na Zona Euro está a crescer. Saiba a que se deve este fenómeno e como se pode preparar para as dificuldades que se aproximam.

O que é o Blockchain e qual o impacto real no dia a dia?

Blockchain e Bitcoin são palavras cada vez mais utilizadas, mas sabe o que significam exatamente? Descubra aqui em que consiste esta tecnologia.

6 dicas de cibersegurança para proteger as suas informações pessoais

Com o número de ataques em níveis recorde, a cibersegurança é uma prioridade de todos. Veja como proteger as suas informações pessoais com estas 6 dicas.
Recomendadas

Como receber os 125 euros? O que são metadados? O que os portugueses mais pesquisaram no Google em 2022

Os internautas também mostraram curiosidade sobre o Mundial 2022, Putin, em que consiste o distúrbio de Bruce Willis ou que é aquamado, o método funerário mais amigo do ambiente que está a ser utilizado como alternativa à cremação.

Comissão por amortização antecipada no crédito à habitação: saiba o que é e como funciona

Se está à procura de alternativas será aconselhável pedir soluções ao seu banco, mas também consultar o mercado e avaliar ofertas alternativas.

O que é o spread no crédito à habitação e como saber se está adequado? Saiba aqui

Para quem contratou crédito à habitação há mais de dez anos é possível que esteja a pagar um spread elevado, se comparado com o atualmente praticado no mercado. Atualmente há ofertas bancárias com spreads abaixo de 1% no crédito à habitação, com bancos a oferecer spreads de 0,85%.
Comentários