Google quer utilizar exclusivamente energias renováveis em 2017

A unidade da Alphabet informou que no próximo ano vai comprar energia renovável para fornecer as necessidades de todas as operações globais.

Neil Hall/Reuters

A Google anunciou que no próximo ano vai comprar energia renovável suficiente para suprir as necessidades de todas as operações globais, informa o Wall Street Journal.

De acordo com o WSJ, a companhia norte-americana vai comprar 2,6 gigawatts de energia eólica e solar nos EUA e outros países, o suficiente para atingir a quantidade de eletricidade que os centros de dados da empresa necessitam anualmente, e que inclui também escritórios e outros edifícios.

A unidade da Alphabet é uma das primeiras empresas a comprar energia renovável para as suas operações no âmbito de uma tendência cada vez mais valorizada por investidores e clientes de centros de dados.

“O nosso objetivo é criar um mundo em que todos, e não apenas a Google, têm acesso a energia limpa”, escreveu num blogue Urs Holzle, vice-presidente sénior de infraestruturas técnicas.

A EDP Renováveis é uma das principais produtoras de energia renovável dos EUA.

Recomendadas

Moody’s diz que bancos mais globais vão ter lucros sólidos em 2023

“Os bancos globais estarão protegidos de um aumento da morosidade do crédito a em 2023 através do aumento das taxas de juro e de balanços sólidos, e as perspectivas para o sector permanecem estáveis”, disse hoje a Moody’s.

Compras das festividades aconteceram mais cedo e serão maiores este ano, segundo a Meta

Alguns dos motivos que podem explicar este acontecimento é o facto de os consumidores estarem preocupados com a escassez de bens, antecipando a compra dos presentes desejados, enquanto as empresas com excesso de stock procuraram eliminá-lo com grandes descontos.

Woodside admite possibilidade de gasoduto do Greater Sunrise para Timor-Leste

A petrolífera australiana Woodside admitiu hoje que está a reconsiderar a possibilidade de um gasoduto dos campos do Greater Sunrise para a costa sul de Timor-Leste, no que representa uma viragem na posição da empresa.
Comentários