Hóspedes caem 2,8% mas custos com pessoal aumentam 7,1% na hotelaria da Madeira

Apesar do aumento do custo com o pessoal, e as quebras nos hóspedes e dormidas, a hotelaria da Madeira apresenta um aumento de 2,1% nos proveitos totais.

Os custos com o pessoal está a ter um aumento de 7,1% na hotelaria da Madeira, de acordo com a Direcção Regional de Estatística (DREM). Esta rubrica representa até setembro 80,3 milhões de euros. Os hóspedes no entanto estão a ter uma quebra de 2,8% uma tendência que abrange ainda as dormidas que caem 2,8%.

A maior parte do custo vai para os hotéis como 58,7 milhões de euros, um aumento de 6,7%. As quintas da Madeira apesar de representarem uma verba de 4,9 milhões são o local, dentro da hotelaria, onde se regista uma maior subida nos custos afectos aos recursos humanos, com uma valorização de 12,5%, até setembro, diz o organismo regional de estatística.

De salientar ainda os hotéis-apartamento que representam 15,3 milhões de euros, em custos com pessoal, e também valorizam 7,3%, face ao período homólogo.

Os apartamentos e os aldeamentos turísticos estão a gastar mais 2,2% e 2,6% com os seus recursos humanos, para os 647 e os 508 mil euros, mas são os local que tem a subida menos significativa.

Com um custo de 115 mil euros com o pessoal as pousadas são as que têm um menor peso financeiro, em termos da hotelaria, mas estão a gastar mais 6,1% com recursos humanos face ao período homólogo.

O aumento de custos com o pessoal vem em contraste com as descidas verificadas tanto em hóspedes como em dormidas na hotelaria da madeira.

O total de hóspedes está a cair 2,8%, para os 1,1 milhões, enquanto que as dormidas quebram 2,8%, para 6,1 milhões. perante isto a hotelaria apresenta uma subida de 2,1% nos proveitos totais, que já estão nos 350 milhões de euros, enquanto que os proveitos de aposentos sobem 2,7% para os 226 milhões de euros.

Relacionadas

32% das empresas criadas na Madeira são no sector da hotelaria e turismo, diz Calado

A aposta na excelência do serviço e do atendimento foi outra estratégia apontada pelo governante para trazer ainda mais relevo ao turismo da Madeira.

Horários, salários e precariedade: os fatores que afastam trabalhadores da hotelaria da Madeira

Este é o entendimento do Sindicato da Hotelaria da Madeira. O presidente da estrutura sindical acredita que 50% dos trabalhadores do setor têm como origem empresas de outsourcing, trabalho temporário, e contratos a prazo, uma situação que leva à quebra no serviço prestado, alerta o sindicato.

Turismo da Madeira cai nas dormidas mas sobe nos proveitos

Os proveitos totais e de aposento valorizaram 3% e 6,2% enquanto que as dormidas quebraram 5,2%.
Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.

Governo Regional da Madeira investe mais de 80 milhões de euros em medicamentos

O envelhecimento demográfico, as doenças crónicas e a introdução de novos medicamentos aumentam as necessidades em saúde, a que o Serviço Regional de Saúde procura responder, sendo que existem doentes que exigem investimentos entre 20 mil a 500 mil euros.
Comentários