BCE autorizou adiamento da recapitalização da CGD

A conversão de ‘CoCos’ deverá derrapar para 2017. Na primeira semana de 2017, dá-se início ao processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

O Governo só vai dar início à recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) no início de 2017, contrariando as expectativas que o processo começasse ainda no final deste ano, segundo o que apurou agora o “Jornal de Negócios”.

Na semana passada, o Jornal Económico noticiou que o registo de imparidades de três mil milhões de euros deveria passar para o próximo ano e seria já anunciado por Paulo Macedo. Assim como a transferência da participação da ParCaixa e a conversão de CoCos em capital. No Governo, ninguém falou em adiamento, porque “nunca houve qualquer prazo”, disse uma fonte contatada. Questionada sobre o processo, fonte oficial da Parpública explica que a holding do Estado “não tem intervenção no processo de transferências de ações da Parcaixa para a a CGD”.

A primeira parte do processo de recapitalização deverá acontecer somente na primeira semana do próximo ano, incluindo a conversão de ‘CoCos’. Inicialmente previstas para o final deste ano, o diário lembra que o Banco Central Europeu já autorizou o adiamento das operações.

“Em causa está a conversão em capital de 900 milhões de euros de instrumentos de capital contingente, acrescidos de juros vencidos, e a transmissão de 49% da Parcaixa para a CGD”, escreve o diário, confirmando a notícia do Jornal Económico, e indicando que a decisão prende-se sobretudo com o facto de o executivo pretender que o impacto no défice não seja significativo.

Em meados de novembro, o primeiro-ministro considerou ter sido “uma alteração essencial o facto de a Comissão Europeia ter autorizado a capitalização a 100 % pública deste banco”. António Costa sublinhou que “esse plano de capitalização, que é o essencial, está a decorrer normalmente, está em curso e será concluído no calendário previsto”, fazendo ainda referência a que os problemas do BPI e do BCP estão também em vias de ser resolvidos.

Relacionadas

CGD: Analistas esperam melhor conjuntura em março para a emissão de subordinadas

A emissão das obrigações de elevada subordinação deverá acompanhar o aumento de capital em dinheiro da CGD, e ambas as operações aguardam os resultados anuais do banco do Estado para que possam ser realizadas. Nessa altura o Novo Banco já foi vendido, o BCP já fez o grande aumento de capital e o Monte dei Paschi já foi nacionalizado.

CGD: Rui Vilar e João Tudela Martins renunciam para continuar com Paulo Macedo

Tiago Ravara Marques e Pedro Leitão, ambos administradores da CGD da equipa de António Domingues, negociaram a sua saída no fim deste mês e não vão integrar a nova administração liderada por Paulo Macedo.

Imparidades de 3 mil milhões na CGD vão ficar para 2017

O registo de imparidades deverá passar para o próximo ano e será já anunciado por Paulo Macedo. A conversão de ‘CoCos’ em capital e a transferência dos 50% da ParCaixa também podem derrapar.
Recomendadas

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Luís Laginha de Sousa quer reafirmar caminho que tem sido feito pela CMVM

As linhas de atuação da nova administração do regulador de mercados, cuja cerimónia de tomada de posse decorreu esta segunda-feira no Ministério das Finanças, não significam “qualquer rutura com o caminho” seguido até agora, garante o novo presidente da CMVM que quer reforçar a articulação entre os supervisores.

Empréstimos à habitação continuam a abrandar, segundo Banco de Portugal

No final de outubro, o montante total de empréstimos para habitação era de 100,1 mil milhões. Outros dados do Banco de Portugal dão conta que o stock de empréstimos às empresas registou um valor de 76,2 mil milhões de euros, diminuindo 480 milhões de euros em relação ao mês anterior e registando uma taxa de variação anual de 1,1% (1,4% no mês anterior).
Comentários