Alargamento da ADSE a 100 mil trabalhadores pode render mais 67 milhões anuais ao subsistema de saúde

Alexandra Leitão destacou que, dos 100 mil trabalhadores que estão abrangidos, 60 mil trabalhadores são do setor da saúde: hospitais e centros de saúde do setor público-empresarial, universo ao qual se vai acrescer 60 mil beneficiários não titulares ou seja, os cônjuges e descendentes destes 100 mil trabalhadores. Caso todos os trabalhadores adiram, a ADSE vai arrecadar mais 67 milhões de euros por ano.

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública | Cristina Bernardo

O Conselho de Ministros aprovou esta terça-feira o alargamento da ADSE, subsistema de saúde dos trabalhadores do Estado, a 100 mil trabalhadores numa medida que, de acordo com a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, visa a sustentabilidade da ADSE. Caso todos os trabalhadores adiram, a ADSE vai arrecadar mais 67 milhões de euros por ano.

“Este alargamento é justo porque resulta da responsabilidade do próprio empregador público na saúde dos seus trabalhadores independentemente do contrato que têm, mas é importante no domínio da sustentabilidade da ADSE, uma vez que estes trabalhadores têm uma média etária mais baixa do que os trabalhadores em função pública”, realçou a governante em conferência de imprensa.

Esclarece o Governo que este decreto lei consagra o direito dos trabalhadores com contrato individual de trabalho de se inscreverem na ADSE, trabalhadores que, até agora, apesar de serem trabalhadores de entidades públicas, não podiam inscrever-se na ADSE por terem uma modalidade de vínculo que é de contrato individual de trabalho e não de contrato de trabalho em funções públicas.

Alexandra Leitão destacou que, dos 100 mil trabalhadores que estão abrangidos, 60 mil trabalhadores são do setor da saúde: hospitais e centros de saúde do setor público-empresarial, universo ao qual se vai acrescer 60 mil beneficiários não titulares ou seja, os cônjuges e descendentes destes 100 mil trabalhadores.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

BdP aponta a crescimento de 6,7% e inflação de 7,8% este ano

As atualizações de outubro das projeções macro do banco central mostram revisões em alta em relação aos 6,3% de crescimento e 5,9% de inflação projetados em junho, com o consumo privado e o turismo a apoiarem a recuperação.

Vendas a retalho caem 0,3% na zona euro e 0,2% na UE em agosto

Comparativamente com o mês de agosto do ano passado, registaram-se quedas mais acentuadas, na ordem dos 2,0% e 1,3% respetivamente, de acordo com o Eurostat. Em Portugal, porém, a evolução foi positiva, quer face a julho do presente ano, quer face a agosto de 2021.
Comentários