Governo antecipou pagamento de cerca de dois mil milhões ao FMI

Reembolso ao FMI, com o Governo a pagar hoje cerca de dois milhões ao fundo.

Bogdan Cristel/Reuters

Portugal procedeu hoje ao reembolso antecipado de duas tranches do empréstimo contraído junto do FMI no âmbito do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro. Segundo um comunicado do Ministério das Finanças, o  valor do pagamento totaliza 2.068 mil milhões de euros. A poupança estimada com juros é de 41 milhões de euros.

O reembolso antecipado representa 11% do empréstimo remanescente do FMI a Portugal, equivalente a cerca de 18,853 mil milhões de euros. “Os reembolsos agora antecipados correspondem às amortizações de capital que originalmente eram devidas entre setembro de 2018 e fevereiro de 2019, permitindo reduzir as necessidades de financiamento da República Portuguesa nesses anos”, explica o gabinete de Mário Centeno.

De acordo com o ministério, o reembolso antecipado insere-se no Programa de Financiamento da República Portuguesa para o ano de 2016 e beneficiou da implementação do plano de emissão de Obrigações do Tesouro em linha com o planeado, assim como do financiamento obtido no âmbito do programa de emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável, iniciado em 2016.

Até à data, Portugal já amortizou antecipadamente 42,6% do empréstimo total inicial do FMI.

Relacionadas

Governo marca passo nos reembolsos ao FMI

Em 2017 o executivo prevê reembolsar apenas 1,5 mil milhões de euros dos empréstimos concedidos pelo FMI. O objectivo inicial para este ano também não será cumprido.
Recomendadas

AHRESP propõe 25 medidas para o OE 2023 para reduzir impacto da inflação

O cenário do próximo ano é “muito pessimista para o tecido empresarial”, pelo que são necessárias medidas de apoio às empresas e famílias, de acordo com a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Bruxelas favorável a limite de preço para gás russo

“A Europa enfrenta a chantagem energética da Rússia, e a procura global de gás é mais elevada do que a oferta. Precisamos de trabalhar ao longo de toda a cadeia para enfrentar o desafio. Primeiro, temos de agir no ponto em que o gás entra no nosso mercado. Estamos a negociar com os nossos fornecedores fiáveis de gás de gasoduto. Se isto não trouxer resultados, então é possível um preço máximo”, declarou a comissária.
Comentários