Governo apoiado por PCP e BE preocupa Fórum para a Competitividade

Os membros do Fórum para a Competitividade manifestaram preocupação face à possibilidade de um governo apoiado pelo PCP e Bloco de Esquerda e decidiram transmitir a sua posição às empresas exportadoras, associações empresariais e partidos políticos. “Há uma grande preocupação com a possibilidade de haver um governo apoiado pelo PCP e Bloco de Esquerda [BE], […]

Os membros do Fórum para a Competitividade manifestaram preocupação face à possibilidade de um governo apoiado pelo PCP e Bloco de Esquerda e decidiram transmitir a sua posição às empresas exportadoras, associações empresariais e partidos políticos.

“Há uma grande preocupação com a possibilidade de haver um governo apoiado pelo PCP e Bloco de Esquerda [BE], que tem a ver com várias razões, nomeadamente com as posições assumidas nos últimos 40 anos pelo PS e pelos outros dois partidos”, afirmou o presidente do Fórum, Pedro Ferraz da Costa.

A direção do Fórum para a Competitividade reuniu-se com o respetivo conselho consultivo, a pedido deste, para analisarem a atual situação política, decorrente das eleições legislativas de 04 de outubro.

Ferraz da Costa salientou aos jornalistas, no final da reunião, as posições que têm sido assumidas pelo Partido Socialista, “que acredita numa economia de mercado e na União Europeia, enquanto as posições do PCP e do Bloco de Esquerda não auguram nada de bom para as empresas e para a economia em geral”.

O dirigente empresarial criticou as posições assumidas pelos partidos de esquerda, nomeadamente por não referirem o crescimento da economia, a criação de postos de trabalho e a redução do desemprego.

OJE

Recomendadas

AdC acusa Cabelte, Quintas e Quintas e Solidal de cartel em contratação pública lançada pela REN

AdC acusa as empresas fornecedoras de cabos de Muito Alta Tensão de acordo anticoncorrencial em procedimentos de contratação pública, num concurso lançado pela REN.

Ibersol com lucros de 14,6 milhões de euros até setembro

A Ibersol registou nos primeiros nove meses deste ano lucros consolidados de 14,6 milhões de euros, que comparam com prejuízos de mais de 20 milhões de euros no período homólogo.

Greve na CP e IP suprimiu 701 comboios até às 18h00

A greve dos trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) levou à supressão de 701 comboios da CP entre as 00h00 e as 18h00.