Governo aprova 21,8 milhões para habitações de polícias na área metropolitana de Lisboa

O Governo aprovou hoje 21,8 milhões de euros para que a PSP reforce as condições de alojamento dos novos polícias na área metropolitana de Lisboa, verba que se junta a 40 milhões de euros também destinados à habitação.

Na conferência de imprensa realizada após o Conselho de Ministros, o ministro da Administração Interna indicou que foi aprovada uma resolução que autoriza a cedência de imóveis destinados à habitação pelos serviços sociais da Polícia de Segurança Pública.

“Foi aprovada a autorização de despesa, até ao limite de 21,8 milhões de euros, destinada a permitir que os serviços sociais da PSP possam reforçar a oferta de alojamento e habitação, permitindo que nas próximas semanas e meses seja mesmo possível corresponder àquilo que era um dos principais compromissos com as forças de segurança”, precisou José Luís Carneiro.

O ministro sublinhou que esta verba vai garantir que cerca de três centenas de jovens polícias passem a ter “condições para ficarem condignamente instalados na área metropolitana de Lisboa quando iniciam a sua carreira profissional”.

“Estes 21,8 milhões de euros que tiveram autorização do Conselho de Ministros para que possam ser utilizados por parte dos serviços sociais da PSP acrescem a 40 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência também destinados ao reforço do alojamento e da habitação para as forças de segurança”, frisou.

O ministro referiu que se trata “de um esforço conjugado que agora tem um significado superior a 60 milhões de euros para investir na melhoria das condições de vida, da atratividade e da dignificação para o exercício das condições policiais”.

José Luís Carneiro disse ainda que a expectativa é que até ao primeiro trimestre 2023 existam condições para “reforçar a oferta de alojamento para os jovens polícias que, tendo terminado a sua formação, são colocados no Comando Metropolitano de Lisboa da PSP”.

O comunicado do Conselho de Ministro refere que o objetivo da resolução hoje aprovada é “garantir condições de habitação dignas e outras infraestruturas de apoio aos profissionais da PSP deslocados que iniciam funções no Comando Metropolitano de Lisboa”.

Recomendadas

Castro Marim é mais uma vez Autarquia + Familiarmente Responsável

O Município liderado por Francisco Amaral, que foco um muito particular na educação e na saúde, prepara-se para avançar brevemente com um programa de financiamento para próteses dentárias.

BPI financia tecnologia que promove autonomia de pessoas com paralisia cerebral

App, acessível por smartphone, tablet ou computador, permite aos residentes emitir um pedido de assistência que assume a forma de alerta enviado aos colaboradores da instituição. Em 2022 foram lançados 4.590 pedidos de assistência.

“A educação não é serviço mínimo”. CGTP-IN e Bloco acusam Governo de pôr em causa direito à greve

Segundo a CGTP-IN, liderada por Isabel Camarinha, a decisão de impor serviços mínimos nas escolas, ontem decidida pelo Tribunal Arbitral, “é inédita” no nosso país e procura abrir um precedente para “pôr em causa o direito à greve”.
Comentários