Governo aprova aumento mínimo de 52,11 euros para função pública em 2023

O Governo aprovou hoje um aumento mínimo de 52,11 euros para os trabalhadores da administração pública com salários até 2.700 euros, em 2023, anunciou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

O Governo aprovou hoje um aumento mínimo de 52,11 euros para os trabalhadores da administração pública com salários até 2.700 euros, em 2023, anunciou a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

“Todos os funcionários públicos com salários até 2.700 euros vão ter um aumento mínimo de 52,11 euros e, a partir daí, aplica-se o valor de atualização salarial dos 2%”, explicou aos jornalistas a governante, no final de uma reunião do Conselho de Ministros.

Mariana Vieira da Silva anunciou que o Conselho de Ministros “aprovou hoje os dois decretos-lei no âmbito do acordo plurianual de valorização dos trabalhadores da administração pública”, que vem garantir previsibilidade ao longo desta legislatura e fixa a base remuneratória da administração pública em 761,58 euros e atualiza o valor das remunerações da administração pública, correspondendo a um aumento salarial anual equivalente a um nível remuneratório em cada carreira, ou de 2% para todos os trabalhadores”.

Recomendadas

OE2022: Receita fiscal aumenta 19% até outubro para 42.945 milhões de euros

“Em termos acumulados, a receita fiscal líquida do subsetor Estado até outubro de 2022 aumentou em 6.858,8 milhões de euros (+19%) face ao valor registado no mesmo período de 2021, no qual estavam em vigor restrições à atividade económica devido à pandemia covid-19”, pode ler-se na síntese da DGO.

Estado regista excedente de 2.540 milhões de euros até outubro

Apesar do aumento homólogo, o saldo recuou em cerca de 2,7 mil milhões face ao mês anterior devido às medidas para mitigar o impacto da inflação.

Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo vai liderar fundo de resgate da zona euro

Num comunicado hoje divulgado, o fundo de resgate do euro indica que “o Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, nomeou hoje o ex-ministro das finanças luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor-executivo”, que ocupa a partir de 1 de dezembro.
Comentários