Governo aprova estatuto de “Jovem Empresário Rural”

A medida visa promover o empreendedorismo nas zonas campestres e a criação de postos de trabalho nestas áreas.

Reuters

O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que cria o estatuto de «Jovem Empresário Rural» para promover o empreendedorismo nas zonas campestres e a criação de postos de trabalho nestas áreas.

“Visando atribuir um caráter distintivo ao empreendedorismo no mundo rural, o diploma procura contribuir para a diversificação da base económica regional, a criação de emprego e a fixação de jovens empreendedores nas zonas rurais, articulando estas ações entre as diferentes entidades da Administração Pública e da sociedade em geral”, refere o comunicado enviado pelo Conselho de Ministros.

A medida já tinha sido anunciada pelo ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural há mais de umo ano. De acordo com Luís Capoulas Santos, este novo estatuto visa incentivar “a instalação de jovens empresários em atividades não agrícolas no mundo rural”, contribuindo para a “diversificação e estruturação do tecido económico regional”.

O governante disse ainda que seria criado o ‘banco de terras’ para “ceder terra para exploração a jovens agricultores com formação adequada”, segundo as declarações divulgadas pela agência Lusa, à margem da cerimónia dos 130 anos da Escola Superior Agrária de Coimbra.

Recomendadas

Santana Lopes perspetiva ano económico “muito difícil” em 2023

Santana Lopes mencionou também o aumento “escandaloso” de quatro vezes a taxa base do custo da tarifa de tratamento dos resíduos sólidos urbanos a pagar à Empresa de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro (ERSUC), cujo acionista base é privado.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.
Comentários