Governo autoriza abertura de mais 20 Unidades de Saúde Familiar

Há oito dessas duas dezenas que estão em condições de iniciar atividade até ao final deste ano, anunciou esta segunda-feira o Ministério da Saúde.

O Governo autorizou a abertura de até mais 20 Unidades de Saúde Familiar (USF): oito que estão, neste momento, em condições de iniciar atividade até 31 de dezembro de 2019 e 12 que deverão entrar em funcionamento a partir dos primeiros meses do próximo ano.

O Ministério da Saúde explicou esta segunda-feira que, sem prejuízo de terem sido criadas 20 USF modelo A durante este ano, existem “mais equipas que reúnem os requisitos para iniciar o funcionamento neste modelo de organização”.

O gabinete de Marta Temido refere, em comunicado, que esta decisão insere-se no “compromisso de generalização deste modelo a todo o país, considerando que os cuidados de saúde primários constituem o melhor caminho para atingir a meta de cobertura universal através de cuidados de saúde personalizados à população”.

O que é uma USF?

As USF são pequenas unidades operativas dos centros de saúde com autonomia funcional e técnica. O número a constituir é estabelecido, todos os anos, por despacho dos membros do Governo responsáveis pelas pastas das Finanças e Saúde.

Nem todas as USF estarão no mesmo plano de desenvolvimento organizacional. A diferenciação entre os vários modelos de USF (A e B) é resultante do grau de autonomia organizacional e da diferenciação do modelo retributivo e de incentivos dos profissionais. Poderá ser um utente não só com médico de família mas também com equipa de família – médico, enfermeiro e secretário clínico. – Associação Nacional das USF

Recomendadas

Lusíadas Saúde desliga iluminação externa de todos os hospitais e clínicas a partir de 1 de outubro

Esta ação vai implicar desligar a sinalética externa de todos os edifícios, designadamente a iluminação de carater informativo ou decorativo das fachadas dos edifícios pertencentes ao Grupo, tais como lonas e estandartes publicitários, bem como a iluminação de jardins.

Subfinanciamento do Estado pode colocar em causa qualidade dos cuidados continuados, revela estudo

O valor pago pelo Estado a instituições da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) é “significativamente inferior” aos custos, um subfinanciamento que pode colocar em causa a qualidade dos serviços, alerta um estudo hoje divulgado.

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.
Comentários