Governo britânico regista mais uma variante do vírus no Reino Unido com origem na África do Sul

Esta é a sua variante registada no Reino Unido no espaço de uma semana. O ministro da Saúde pede que as pessoas que vieram da África Sul, ou que estiveram em contacto com alguém que tivesse vindo daquele país, entrassem em isolamento profilático “imediatamente”.

Henry Nicholls, Reuters

O ministro da Saúde do governo britânico anunciou, esta quarta-feira, que foi identificada uma nova variante da Covid-19 no Reino Unido, com dois casos confirmados assinalados até à data. Trata-se de uma estirpe vinda de África do Sul, na medida em que esses dois casos detetados tinham viajado para aquele país nas últimas semanas.

Durante uma conferência de imprensa, esta quarta-feira, Matt Hancock pediu que todos os viajantes que vieram da África do Sul nas últimas duas semanas se isolem “imediatamente”, assim como aqueles que tiveram contacto com alguém que tenha estado naquele país. Isto enquanto a estirpe é investigada e são tomadas medidas mais definitivas.

“É absolutamente vital que atuemos“, afirmou o responsável pela pasta de Saúde do governo de Boris Johnson. “Esta nova variante é muito preocupante porque é ainda mais transmissível e parece ter sofrido mais mutações que a primeira variante que foi descoberta no Reino Unido”, disse ainda Hancock.

Presente na mesma conferência de imprensa estava a médica, especialista e conselheira do Governo Jenny Harries que informa que esta nova estirpe da Covid-19 está crescer “muito mais rapidamente”, acrescentando que esta propagação se tem verificado em Londres, no Sudeste e Este de Inglaterra.

Ainda durante a intervenção, a médica frisou que os hospitais públicos no Reino Unido estão perto da “rutura total”, uma vez que os cuidados intensivos e as enfermarias dos hospitais registaram um novo aumento de internamentos durante o mês de dezembro. Face a esta realidade, a confederação do sistema nacional de saúde britânico (NHS, sigla em inglês) pediu que o governo de Boris Johnson estendesse o período de transição para o Brexit para evitar que o sistema de saúde colapse.

Esta notícia chega depois da Organização Mundial de Saúde (OMS) ter frisado, em comunicado, na segunda-feira, que a variante da Covid-19 detetada esta semana na Grã-Bretanha não é a mesma que foi descoberta na África do Sul, vincando que a confusão surgiu do facto de as duas estirpes terem sido identificadas quase em simultâneo.

“Os vírus sofrem mutação, é natural e temos que esperar por isso”, disse, esta segunda-feira, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em conferência de imprensa.

Recomendadas

Maior cidade do sul da China volta a ser palco de confrontos violentos (com áudio)

Os vídeos mostram manifestantes a arremessar garrafas de vidro e barras metálicas contra as forças de segurança, que surgem a marchar em fileiras, protegidos por escudos antimotim transparentes.

Covid-19: Principal órgão de segurança da China quer “repressão” das “forças hostis”

O principal órgão de segurança da China apelou hoje à “repressão” das “forças hostis”, após os protestos dos últimos dias nas principais cidades chinesas contra as restrições sanitárias e limitações das liberdades individuais.

Covid-19: Universidades chinesas mandam estudantes para casa

Universidades chinesas estão a enviar estudantes para casa para tentar evitar mais manifestações de protesto contra as restrições anticovid, numa altura em que muitas cidades estão a pedir aos residentes que evitem viajar.
Comentários