Governo da Madeira reforça apoio PROAGES em 800 mil euros

O Executivo madeirense autorizou também, no âmbito do Conselho de Governo desta quinta-feira, a celebração de cinco contratos-programa com Casas do Povo, no valor total de 52.400 euros.

O Governo Regional da Madeira reforçou o Programa de Apoio à Garantia de Estabilidade Social 2022 (PROAGES- 2022), que apoia as pessoas com baixos salários, em 800 mil euros.

O Executivo madeirense autorizou também, no âmbito do Conselho de Governo desta quinta-feira, a celebração de cinco contratos-programa com Casas do Povo, no valor total de 52.400 euros.

Um contrato-programa de 16.750 euros com a Casa do Povo do Caniçal, para comparticipar nos custos com a organização da‘Feira do Mar e do Pescador’, um com a Casa do Povo do Santo da Serra, de 15.500 euros, no âmbito da prossecução da ‘Mostra da Sidra’, e outro de 11.150 euros com a Casa do Povo de Santa Cruz, no âmbito da realização do evento ‘Sons e Sabores da Madeira’.

Depois há ainda dois contratos-programa de valores inferiores, com a Casa do Povo da ilha, com vista a comparticipar a realização da “XXVIII Semana Cultural da Ilha”, de cinco mil euros, e um com a Casa do Povo de Santo António, de quatro mil euros, para comparticipar a realização da ‘Festa Agro Festival’.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.

Governo Regional da Madeira investe mais de 80 milhões de euros em medicamentos

O envelhecimento demográfico, as doenças crónicas e a introdução de novos medicamentos aumentam as necessidades em saúde, a que o Serviço Regional de Saúde procura responder, sendo que existem doentes que exigem investimentos entre 20 mil a 500 mil euros.
Comentários