Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, anunciou, esta quinta-feira, a decisão de não renovar o estado de alerta no âmbito da pandemia Covid-19.

“A situação da pandemia permite-nos tomar com toda a segurança a decisão de não renovar o estado de alerta no nosso território continental”, destacou Pizarro depois de reunião do Conselho de Ministros.

O governante justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa, da proteção conferida pela vacina” e com “a menor agressividade de estirpes de Sars-Cov 2 que estão neste momento em circulação”. “A incidência da doença e sobretudo o seu impacto da saúde das pessoas e no funcionamento do sistema de saúde têm se mantido estável e controlado”, completou.

No entanto, Manuel Pizarro alertou que “a reversão do estado de alerta não significa que possamos considerar que a pandemia da covid-19 está ultrapassada”. “Temos de continuar a vigiar a evolução da doença e conferir prioridade à vacinação em especial das pessoas que estão em maior risco”, assegurou.

O ministro da Saúde aproveitou ainda para “agradecer aos portugueses a adesão ao programa de vacinação que está em curso contra a covid-19” e informar que “desde inicio de setembro até hoje foram já vacinadas, nestas duas doenças, 450 mil pessoas”.

Os dados mais recentes divulgados pela Direção Geral de Saúde na última sexta-feira dão conta de que na semana anterior Portugal tinha registado mais 18.315 infeções por Covid-19 e 37 mortes.  A incidência do vírus SARS-CoV-2 em Portugal era de 178 casos por 100 mil habitantes (mais 13%) e o risco de transmissibilidade (Rt) fixava-se nos 1,02.

Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários