Governo destaca crescimento de 11,5% entre 2015 e 2019

No documento com a estratégia para a nova legislatura entregue esta sexta-feira na AR, o Governo defende que “a mudança de políticas implementada pelos anteriores Governos tornou possível a recuperação de rendimentos e um forte crescimento da economia e do emprego”.

O primeiro-ministro, António Costa, preside à primeira reunião do Conselho de Ministros do XXIII Governo, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 31 de março de 2022. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

O Governo destaca o crescimento de 11,5% entre 2015 e 2019, o que se traduziu num valor médio anual superior ao registado na zona euro neste intervalo, com uma trajetória que acabou por ser interrompida pela pandemia.

No programa do Governo, que foi entregue esta sexta-feira à Assembleia da República (AR), o Executivo defende que “a mudança de políticas implementada pelos anteriores Governos tornou possível a recuperação de rendimentos e um forte crescimento da economia e do emprego” possibilitaram esta evolução do PIB no pré-Covid.

Durante este período, o país registou um crescimento médio anual de 2,8%, continua o documento, o que, “pela primeira vez nas
últimas duas décadas”, ficou acima do registado na zona euro, ou seja, 2%.

“Um crescimento robusto, alicerçado no investimento e no crescimento das exportações, importando recordar que, em volume, o investimento cresceu perto de 28% e as exportações quase 23%, levando a que as exportações atingissem o maior peso do PIB na nossa história (43,5%)”, pode-se ler no documento que expõe a estratégia para a XXIII legislatura.

“Esta trajetória abriu o caminho para contas certas, equilibradas e sustentáveis, com o primeiro superavit da democracia, a dívida pública a recuar de 131,2% em 2015 para cerca de 116,6% em 2019 e o reforço significativo da sustentabilidade da nossa segurança social”, acrescenta o Governo.

Relacionadas

Programa do Governo já foi entregue à Assembleia da República. Leia aqui

O novo Governo já entregou o programa à Assembleia da República. Documento será apresentado ao país esta tarde.

Reforçar papel de Portugal no fornecimento de energia para Europa é prioridade para novo Governo

No programa do Governo entregue esta sexta-feira à Assembleia da República, o terceiro Executivo de Costa coloca as interconexões energéticas entre Portugal, Espanha e o resto da Europa como uma das prioridades a explorar nos próximos quatro anos.

Governo quer aplicar taxa de rotatividade para penalizar precariedade

Aprovada em 2019, a taxa de rotatividade ainda não saiu do papel. O novo Governo de Costa compromete-se agora a aplicar esta medida que penalizará os empregadores que recorrem “em excesso” a contratos a prazo.
Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quarta-feira

Portugal tem mostrado algum atraso em relação ao resto da zona euro no que respeita à pressão nos preços, continuando numa dinâmica de aceleração que se estende ao indicador subjacente, levantando mais preocupações quanto à duração e extensão do fenómeno na economia nacional.

Comunidades pedem a António Costa que resolva “discriminação” de pensionistas

O Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa (CRCPE) endereçou hoje uma carta ao primeiro-ministro de Portugal a solicitar a atualização das pensões e reformas para evitar perdas do valor futuro das pensões e reformas dos portugueses no estrangeiro.

JMJLisboa2023. Portugal terá retorno económico de cerca de 350 milhões de euros

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que se realiza no próximo mês de agosto em Lisboa, vai ter um retorno económico para Portugal de cerca de 350 milhões de euros, revelou hoje o coordenador do evento nomeado pelo Governo.
Comentários