TAP. Governo injeta 536 milhões de euros e converte 1.200 milhões de empréstimo em capital

Ao todo foram investidos 1. 736 milhões de euros. O valor corresponde aos limites autorizados pela Comissão Europeia e previstos no Plano de Reestruturação para 2021.

O Ministério das Finanças anunciou hoje que foram injetados 536 milhões de euros na TAP através de um aumento de capital.

O valor, explica a nota divulgada esta quinta-feira pelo gabinete de João Leão, corresponde aos limites autorizados pela Comissão Europeia de 178,4 milhões de euros, no âmbito das compensações covid e de 357,6  milhões de euros previsto no plano de reestruturação para 2021, “tendo em atenção a necessidade de compensar a empresa pela perda resultante do cancelamento da dívida da TAP SGPS”.

Além desta injeção de capital, o Governo informa que “foram convertidos em capital os 1.200 milhões de euros de empréstimo à TAP concedido em 2020 relacionados com a despesa de emergência” registada nesse ano.

De acordo com o gabinete das Finanças, poderão vir a ser feitas novas injeções de capital ao longo do ano de 2022, isto em em função da evolução global do sector e do desempenho da companhia, nomeadamente dos indicadores previstos no plano de restruturação”. Esses reforços serão feitos sempre tendo em conta “o limite máximo autorizado pela Comissão Europeia e de acordo com o plano de reestruturação para 2022”.

A Comissão Europeia deu luz verde ao plano de reestruturação da TAP no dia 21 de dezembro, obrigando, no entanto, a companhia a ceder 18 slots (nove pares de descolagem e aterragem) no aeroporto de Lisboa e a vender as participações na Manutenção & Engenharia Brasil, Cateringpor e Groundforce. Bruxelas aprovou ainda duas novas tranches de compensações pelos prejuízos provocados pela Covid-19, uma de 107,1 milhões de euros e outra de 71,4 milhões, num total de 178,5 milhões.

Relacionadas

TAP vai ter mais voos entre Porto e Lisboa no próximo verão

A Invicta terá ainda três voos por semana para São Paulo e dois semanais para o Rio de Janeiro, para aumentar o número de turistas que vêm do Brasil.

Pedro Nuno Santos: “Há seis interessados na TAP. Três fundos e três grupos de aviação”

O ministro das Infraestruturas garante que não se trata de injetar dinheiro para vender a empresa. “Investimos na TAP porque entendíamos que não deveria fechar. A fazer algum negócio no futuro deve ser com grupos de aviação, que percebem do sector”, disse, em entrevista à SIC.

Adeus TAPzinha? 11 pontos para ficar a conhecer a nova TAP

A perda de slots no aeroporto de Lisboa, a frota, o futuro da Groundforce ou a posição de Humberto Pedrosa. Saiba como vai ficar a companhia aérea depois do plano de reestruturação ser aprovado em Bruxelas.
Recomendadas

A Mobilidade elétrica acelera a descarbonização das empresas

Na sua definição mais simples, descarbonizar significa “tirar carbono a”. E no caso da energia, significa que cada vez mais, queremos trocar as energias fósseis, que emitem gases de efeito estufa, por mais energias verdes, renováveis.

CGD vai continuar com uma posição de capital acima da média da Europa, diz Paulo Macedo

O presidente da Comissão Executiva da CGD disse hoje que o banco vai continuar com uma das maiores redes de agências e com uma posição de capital acima da média da Europa e acima dos bancos portugueses.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.
Comentários