Governo investe 100 milhões na GNR e PSP

Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna, salientou que já está em discussão na Assembleia uma lei de programação “que vai permitir ao longo dos próximos cinco anos planear o investimento”.

Constança Urbano de Sousa, ministra da Administração Interna, anunciou hoje que o Governo vai fazer um investimento superior a 100 milhões de euros nos próximos cinco anos para melhorar as condições das autoridades GNR e PSP.

“Para os próximos cinco anos prevê-se um investimento superior a 100 milhões de euros, mas que até pode ser superior, porque depende muito também de receitas que possam ser oriundas de vendas de património e que reverterão exclusivamente para a requalificação das infraestruturas” declarou a ministra durante a cerimónia de inauguração do do posto da GNR de Porto de Mós, acrescentando que “não é nada que se consiga resolver de hoje para amanhã. Existem vários locais mais urgentes, como Cucujães, Vila Real de Santo António ou onde está albergado o corpo de intervenção da PSP na Ajuda ou no Porto, que são infraestruturas que hoje têm um elevado grau de degradação e que estão devidamente identificadas e priorizadas”, avançam vários meios de comunicação, citando a agência Lusa.

Constança Urbano de Sousa salientou que já está em discussão na Assembleia uma lei de programação “que vai permitir ao longo dos próximos cinco anos planear o investimento e, sobretudo, dotar de instrumentos financeiros que permitam financiar ao longo dos próximos anos obras de requalificação e de construção de postos da GNR e de esquadras da PSP”.

O novo posto da GNR de Porto de Mós pretende garantir melhores condições tanto às autoridades como à população que serve, resultado de um investimento tripartido de cerca de 500 mil euros da autarquia, Ministério da Administração Interna e GNR.

“Moderno, bem equipado e funcional” são os adjetivos que o presidente da Câmara, João Salgueiro, utiliza para descrever o novo local que a partir de hoje dispõe “de condições dignas que contribuirão para uma adequada missão. O senhor primeiro-ministro esteve em Porto de Mós no sábado e disse que não eram as paredes e o betão que faziam uma melhor escola, também aqui não é a parede nem o betão que fazem um melhor quartel. O melhor quartel começa nas prestações dos nossos militares. Mas com melhores ferramentas trabalha-se melhor”.

Recomendadas

Santana Lopes perspetiva ano económico “muito difícil” em 2023

Santana Lopes mencionou também o aumento “escandaloso” de quatro vezes a taxa base do custo da tarifa de tratamento dos resíduos sólidos urbanos a pagar à Empresa de Resíduos Sólidos Urbanos do Centro (ERSUC), cujo acionista base é privado.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.
Comentários