Governo publica valores indicativos da capacidade de receção de energia elétrica disponível

“Para responder ao forte interesse manifestado pelos promotores nacionais e internacionais e agilizar todas as intenções firmes de investimento, o Orçamento de Estado para 2018, agora aprovado, contempla uma norma que prevê um mecanismo de sorteio destinado a garantir a ligação destas centrais à rede elétrica, até ao limite da capacidade disponível na zona de rede respetiva”, diz o comunicado de Jorge Seguro Sanches.

Já está disponibilizada pela Direcção Geral de Energia e Geologia aos potenciais investidores em energias renováveis, informação sobre a atual capacidade de receção da rede elétrica nacional.

Os promotores de energias renováveis passam a ter ainda acesso a uma tabela com as centrais licenciadas, no âmbito da Produção em Regime Especial.

Estas listas referem-se às licenças de produção emitidas (e válidas) a partir de 8 de outubro de 2012, e as capacidades disponíveis de acordo com o quadro da proposta do Plano de Desenvolvimento e Investimento na Rede de Transporte 2018-2027.

“A medida confere uma maior transparência e visibilidade no planeamento dos investimentos por parte dos promotores nesta área de negócio e  contribui para uma maior gestão das infra-estruturas”, salienta o Executivo.

“A Direção-Geral de Energia e Geologia, dando cumprimento ao Despacho de 10/11/2017 do Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, acaba de divulgar, na sua página da internet, informação para os potenciais investidores no setor da produção de energias renováveis sobre a capacidade disponível na rede elétrica nacional”, lê-se no comunicado enviado hoje.

Os valores indicativos da capacidade de receção de energia elétrica disponível, por zona de rede, elaborada pelo Operador da Rede Nacional de Transporte, para efeitos do Plano de Desenvolvimento e Investimento na Rede de Transporte 2018-2027 (atualmente em consulta pública), consta assim da lista, publicada no site da Direção Geral de Energia e Geologia.

“O elevado número de centrais fotovoltaicas sem tarifa subsidiada já aprovados pelo Governo, 15 projetos correspondentes a 521 MW de capacidade instalada, a que se somam mais 2.200 MW de pedidos de licenciamento (91 centrais) em fase de análise na Direção Geral de Geologia e Energia, excede, em alguns pontos, e em larga escala a capacidade de receção na rede nacional de distribuição e transporte de eletricidade”, explica o Governo.

“Para responder ao forte interesse manifestado pelos promotores nacionais e internacionais e agilizar todas as intenções firmes de investimento, o Orçamento de Estado para 2018, agora aprovado, contempla uma norma que prevê um mecanismo de sorteio destinado a garantir a ligação destas centrais à rede elétrica, até ao limite da capacidade disponível na zona de rede respetiva”, diz o comunicado do gabinete de Jorge Seguro Sanches.

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários