Governo reforça programa de estágios na Função Pública com mais 500 vagas

Afinal, mais jovens poderão ser abrangidos pelo programa de estágios na Administração Pública. Governo adicionar 500 vagas às mil já aprovadas. Estagiários recebem bolsa de cerca de mil euros brutos.

O Governo aprovou esta quinta-feira em Conselho de Ministros o reforço do programa de estágios da Administração Pública, adicionando 500 vagas às mil já aprovadas. Em causa está uma medida que visa promover o rejuvenescimento dos quadros do Estado.

“Foi aprovada a resolução que altera algumas regras da segunda edição do programa extraordinário de estágios na administração direta e indireta do Estado, designado EstágiAP XXI, para adicionar 500 vagas de estágio às 1000 vagas já aprovadas”, explica o Governo, em comunicado.

Na edição de 2021, o programa de estágios da Administração Pública contou apenas com 500 vagas, universo que foi reforçado na edição deste ano. Assim, foram aprovadas, à partida, mil vagas, a que agora se somam mais meia centena.

Este programa, que visa rejuvenescer os quadros públicos e atrair jovens qualificados para a Administração Pública, dirige-se aos jovens licenciados menores de 30 anos (ou 35 anos, no caso das pessoas com deficiência ou incapacidade funcional igual ou superior a 60%), que se encontrem à procura do primeiro emprego ou de um novo emprego correspondente à sua área de formação.

Os estágios são financiados pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), estando previsto que os jovens recebem uma bolsa correspondente à primeira posição da carreira de técnico superior, isto é, 1.007,49 euros. Esse valor deverá subir, contudo, para 1.059 euros, de acordo com o diploma já aprovado em Conselho de Ministros, mas que ainda não entrou em vigor.

Os estágios têm a duração de nove meses, “podendo o respetivo contrato ser celebrado a tempo completo ou a tempo parcial, devendo ser sempre observado o limite mínimo de 50 % do período normal de trabalho semanal”, é explicado na página oficial do programa.

Recomendadas

Cinco milhões para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse que o Fundo Ambiental disponibiliza, até ao final do ano, cerca de cinco milhões de euros para ações de emergência.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

Dionísio Pestana pede reforma dos impostos como apoio às empresas

O presidente do Grupo Pestana afirma não precisar de ajudas diretas, perante o cenário de incerteza, mas pede ao Governo que avance com uma reforma nos impostos, apontando para a TSU.
Comentários