Governo salienta que subida de rating em dois escalões é inédita

“Esta classificação reflete o trajeto de controlo da despesa pública e de melhoria da balança corrente. É o reconhecimento das opções de política económica do Governo português”, afirmou o ministro das Finanças, Mário Centeno.

Cristina Bernardo

A Fitch subiu a classificação da dívida da República Portuguesa em dois escalões, de BB+ para BBB esta sexta-feira e o Governo frisou que “nunca antes uma das três principais agências de rating tinha decidido, num só momento, aumentar em dois escalões a avaliação da dívida soberana portuguesa”.

“Esta classificação reflete o trajeto de controlo da despesa pública e de melhoria da balança corrente. É o reconhecimento das opções de política económica do Governo português”, afirmou o ministro das Finanças, Mário Centeno, em comunicado.

“A magnitude sem precedentes desta reavaliação foi possível, como refere a agência, pela recente inflexão positiva e estrutural verificada em áreas chave. A robustez do crescimento desde meados de 2016; o dinamismo da criação de emprego e a queda do desemprego para 8,5%; o recente fortalecimento do setor financeiro; a perspetiva constante do cumprimento das metas orçamentais e a firme e sustentável redução da dívida pública que começou a ser registada no corrente ano,” adiantou.

 

Relacionadas

Fitch tira Portugal do nível de ‘lixo’ e sobe dois escalões no ‘rating’

Tal como esperado, a Fitch seguiu os passos da Standard and Poor’s e subiu o ‘rating’ da República para grau de investimento. Das quatro principais agências de notação, a Fitch passou assim a atribuir a melhor classificação, justificando a subida principalmente com a tendência de queda da dívida.

Em dia de Fitch, PSI 20 sobe e juros da dívida descem

Juros da dívida portuguesa 10 anos descem 0,9 pontos base para 1,77%, antes de a Fitch rever a avaliação. A expetativa é que a agência siga os passos da Standard and Poor’s e tire a República do nível de ‘lixo’.

Respostas rápidas: E se a Fitch tirar Portugal do ‘lixo’?

A agência de notação Fitch vai avaliar Portugal esta sexta-feira. Perceba como é que esta e outras agências viram Portugal durante e depois da crise, bem como o que se espera e implicações da decisão.
Recomendadas

Portugal com maior subida de carga fiscal na OCDE. “Não é uma liderança que nos orgulha”, afirma Marques Mendes

O comentador apontou o facto de que em 2010, a carga fiscal nacional correspondia a 30,4% do PIB e onze anos depois subiu para 35,8%. “Está claramente acima da média da OCDE que está neste momento nos 34,1%”, referiu.

Bruxelas com resposta adequada às “distorções” da lei da inflação nos EUA

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, prometeu este domingo uma resposta “adequada e bem calibrada” para mitigar as “distorções” da lei norte-americana para a redução da inflação.

Conferência “Poupar e Investir para um Futuro Melhor” a decorrer em Lisboa, com o apoio do Jornal Económico

A conferência é organizada pela Optimize Investment Partners, sociedade gestora portuguesa que disponibiliza uma gama de soluções de investimento para diversos perfis de risco e objetivos. Moderada por Nuno Vinha, subdiretor do Jornal Económico, consiste numa palestra de 30 minutos de cada um dos quatro oradores, um coffee break e uma mesa redonda com espaço para perguntas e respostas e interação com a plateia.
Comentários