Governo vai criar apoios diretos às empresas que contratem novos trabalhadores

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, revelou que o programa Ativar.pt será retomado e será criado um novo mecanismo de apoio com vista à criação de emprego sustentável, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência. 

Mário Cruz/Lusa

O Governo anunciou esta sexta-feira que vai criar apoios diretos às empresas que contratem novos trabalhadores em tempo de pandemia. A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, revelou que o programa Ativar.pt será retomado e será criado um novo mecanismo de apoio com vista à criação de emprego sustentável, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência.

“Prevemos a criação de apoios diretos à contratação de novos trabalhadores”, referiu a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na apresentação das medidas de apoio à economia e emprego.

Um dos incentivos à contratação é a retoma do programa de estágios Ativar.pt, cujas candidaturas começaram aos no dia 15 de fevereiro e vão manter-se até 30 de junho. O programa tem uma dotação global de 75 milhões de euros para os estágios Ativar.pt e 25 milhões de euros para o incentivo Ativar.pt, que consiste na atribuição de um apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho com desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os contratos devem ter um prazo igual ou superior a 12 meses e as empresas ficam obrigadas a proporcionar formação profissional aos trabalhadores contratados.

A par disso, Ana Mendes Godinho revelou que será criado “um novo mecanismo de apoio ao emprego sustentável, enquadrado no âmbito do programa de Recuperação e Resiliência”. Esse mecanismo vai permitir “um apoio direto à contratação para contratos permanentes e uma discriminação positiva para apoiar a contratação de jovens, mulheres e pessoas com deficiência”, que foram os mais afetados pela pandemia.

Esse apoio direto terá um montante fixo e uma majoração de 25% para a contratação de jovens e contratos com remuneração superior a dois salários mínimos, 35% para contratação de pessoas com deficiência e de pessoas do género sub-representado. As empresas que adiram a este mecanismo terão ainda uma redução 50% nas contribuições sociais.

Recomendadas

OE2023: Governo apresenta hoje proposta de aumentos salariais na função pública

A ronda negocial com as três estruturas sindicais, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, e a secretária de Estado da Administração Pública, Inês Ramires, realiza-se a uma semana da apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2023 (OE2023), que será entregue dia 10 no parlamento.

Analistas estimam mais cortes na taxa de juro em Angola

“Prevemos que o banco central tenha espaço para cortar a taxa de juro em mais 50 a 100 pontos base na reunião de novembro”, escrevem os analistas da Oxford Economics, comentando a decisão do Banco Nacional de Angola de descer a taxa de referência de 20% para 19,5% em setembro, na primeira queda desde 2019.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta segunda-feira

“Bolsonaro resiste à liderança de Lula numa eleição disputada até ao fim”; “Acciona reclama mais 50 milhões para construir hospital de Évora”; “Falta de casas afasta alunos do ensino superior”
Comentários