Governo vai decretar luto nacional pela morte de Paula Rego (com áudio)

O Governo vai decretar, em articulação com o Presidente da República, luto nacional pela morte da pintora Paula Rego, indicou hoje à agência Lusa fonte do Ministério da Cultura.

O Governo vai decretar, em articulação com o Presidente da República, luto nacional pela morte da pintora Paula Rego, indicou hoje à agência Lusa fonte do Ministério da Cultura.

A pintora Paula Rego, uma das mais aclamadas e premiadas artistas portuguesas a nível internacional, morreu na manhã de hoje em Londres, aos 87 anos, disse à Lusa fonte próxima da família.

De acordo com o galerista Rui Brito, a artista “morreu calmamente em casa, junto dos filhos”.

Em Braga, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já lamentou a morte da pintora, destacando a sua projeção no mundo.

Questionado pelos jornalistas, em Braga, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que era a artista plástica portuguesa “com maior projeção no mundo” desde a morte de Vieira da Silva.

Paula Rego estudou nos anos 1960 na Slade School of Art, em Londres, onde se radicou definitivamente a partir da década de 1970, mas com visitas regulares a Portugal, onde, em 2009, foi inaugurado um museu que acolhe parte da sua obra, a Casa das Histórias, em Cascais.

Nascida a 26 de janeiro de 1935, em Lisboa, foi galardoada, entre outros, com o Prémio Turner em 1989, e o Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso em 2013, além de ter sido distinguida com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada em 2004. Em 2010, recebeu da rainha Isabel II a Ordem do Império Britânico com o grau de Oficial, pela sua contribuição para as artes.

Em 2019, recebeu a Medalha de Mérito Cultural do Governo de Portugal.

Câmara de Cascais decreta dia de luto municipal esta quinta-feira

O presidente da Câmara de Cascais, concelho onde se situa a Casa das Histórias Paula Rego, vai decretar um dia de luto municipal na quinta-feira pela morte da pintora, esta quarta-feira, aos 87 anos, anunciou a autarquia.

“A Câmara Municipal de Cascais, por decisão do seu presidente, vai decretar um dia de luto municipal para amanhã, 9 de junho”, é referido numa nota publicada na página do equipamento cultural na rede social Facebook.

Na nota, o autarca Carlos Carreiras e o presidente do conselho diretivo da Fundação D. Luís, Salvato Teles de Menezes, lamentam a morte da pintora e reiteram condolências à família.

“Tudo faremos para honrar a sua memória através das atividades programadas e a programar na Casa das Histórias Paula Rego”, referem.

No comunicado, Carlos Carreiras e Salvato Teles de Menezes destacam que a “cultura portuguesa perde assim uma das suas mais importantes e irreverentes criadoras, alguém que se distinguiu como mulher, ser humano e artista”. Destacam igualmente a sua vida, o percurso profissional e o seu estilo artístico.

Recomendadas

Arranca hoje a 39ª edição do Festival de Almada sob o signo do encontro e do espanto

De 4 a 18 de julho o teatro fala mais alto e todas as questões sobem ao palco. Para sorrirmos, pensarmos, refletirmos, questionarmos. Encontro marcado em Almada e Lisboa.

Helena Coelho arrasa Miguel Milhão da Prozis: “Não compro uma única coisa mais…”

O fundador da Prozis, Miguel Milhão, está no centro da polémica, após concordar com a decisão do Supremo Tribunal dos Estados Unidos em revogar a lei do aborto, que vigorava há mais de 50 anos. Perante a sua posição, várias figuras públicas deixaram de colaborar com a marca de nutrição desportiva, como é o caso de Jessica Athayde, Marta Melro ou Diana Monteiro. A apresentadora Helena Coelho é uma das mais críticas: “é a prepotência e arrogância de quem “não precisa de Portugal”.

Confronto entre Leonor Poeiras e a TVI adiado por Cristina Ferreira ter faltado ao julgamento

A apresentadora pede mais de 1 milhão de euros como indemnização. Cristina faltou ao julgamento por ter de se deslocar ao Porto em trabalho, para marcar presença num evento promovido por Mário Ferreira.
Comentários