Governo vai indemnizar família de cidadão ucraniano morto no aeroporto de Lisboa

A informação foi divulgada pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita. “O que sucedeu no dia 12 de março, nas instalações do Estado no aeroporto de Lisboa, é absolutamente inaceitável”, referiu.

O Governo português vai pagar uma indemnização à família do cidadão ucraniano que foi morto por três funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), informou o Ministro da Administração Interna (MAI) Eduardo Cabrita, no briefing do Conselho de Ministros, realizado esta quinta-feira, 10 de dezembro.

“O que fizemos hoje em Conselho de Ministros, foi a determinação da distribuição de poderes à senhora Provedora da Justiça para estabelecer os contactos necessários à fixação de uma indemnização à família da vítima antes de ser iniciado o julgamento marcado para o início do próximo ano”, referiu o ministro.

No dia internacional dos direitos humanos, Eduardo Cabrita realçou que “o que sucedeu no dia 12 de março nas instalações do Estado no aeroporto de Lisboa e que determinou a morte do cidadão ucraniano Ihor Homenyuk, é absolutamente inaceitável. É algo que está em total contradição com aquilo que são os padrões de respeito pelos direitos humanos que Portugal adopta e que as suas forças e serviços de segurança têm a obrigação estrita de respeitar”.

Eduardo Cabrita destacou que o julgamento apurará aquilo é a responsabilidade penal dos intervenientes, num um ato que se insere dentro daquilo que tem sido a atuação do Governo e do Ministério da Administração Interna. “Apanhei um murro no estômago com esta morte. Ao Estado cabe-lhe apurar, relativamente a funcionários as responsabilidades de natureza disciplinar”.

Relacionadas

Viúva de Ihor Homeniuk teve de pagar transladação do marido do próprio bolso

Em entrevista à SIC, Oksana Homeniuk não escondeu a raiva com que ficou a Portugal, lembrando que o seu marido não tinha ligações a organizações criminosas ou terroristas e que o Estado português nem lhe presta qualquer tipo de apoio, tendo mesmo sido a família do cidadão ucraniano que pagou a sua transladação.

Diretora do SEF admite que cidadão ucraniano foi vítima de tortura no aeroporto de Lisboa

A diretora do SEF admite que a descrição do crime é “medonha, hedionda” e garante que o SEF já criou “um novo regulamento que impõe muito mais regras de muito mais controlo por parte das pessoas que têm que garantir a assistência a estes cidadãos estrangeiros”.

Eduardo Cabrita determina inquérito a morte de ucraniano nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa

O Ministro da Administração Interna determinou a abertura de um inquérito à Direção de Fronteiras de Lisboa do SEF (aeroporto de Lisboa) depois detenção de três presumíveis autores de crime de homicídio de um homem de nacionalidade ucraniana, que tentou entrar, ilegalmente, por via aérea, em território nacional.
Recomendadas

Milhares de pessoas correm em Caracas em ação promovida pela UE sobre violência contra as mulheres

A iniciativa, que conta com uma corrida de 10 quilómetros e uma caminhada de cinco quilómetros, proporcionou uma “festa” pelas ruas da capital da Venezuela, com o principal objetivo de sensibilizar a população para que não permita “nem um único ato de violência” contra as mulheres, explicou o chefe de missão da delegação da UE, Rafael Dochao Moreno, em declarações à agência Efe.

Prémio Manuel António da Mota distingue associação que apoia famílias vulneráveis

Criada em 2010, e com sede em Vila Nova de Tazem, concelho de Gouveia, na Guarda, a Reencontro desenvolve atividades nas áreas social, educativa e cultural junto de pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade ou exclusão social.

Reino Unido vai criminalizar incentivo à automutilação nas redes sociais

A ministra do Digital, Cultura e Media do Reino Unido, Michelle Donelan, afirmou que o projeto de lei será reforçado com essa ofensa para “garantir que esses atos vis desaparecem”.
Comentários